inclusão de arquivo javascript

 
 

Diretor suspende todos alunos de faculdade em SP

18 de fevereiro de 2004 09h18 atualizado às 09h18

O diretor da Faculdade de Medicina do ABC, localizada em Santo André, na Grande São Paulo, Luiz Henrique Camargo Paschoal, suspendeu os 600 estudantes da instituição, do 1º ao 6º ano, depois que presenciou um trote feitos por alunos veteranos contra calouros. Paschoal considerou chocante a situação que encontrou com jovens apenas com roupas íntimas, amarrados, pintados e rolando na lama sob orientação dos colegas mais velhos. Eles só terão a suspensão revogada quando levarem, "de forma espontânea", dois quilos de alimentos não-perecíveis, que serão entregues a entidades carentes.

  • Opine: o diretor está certo em suspender os alunos?

    Estudantes e seguranças do campus informaram ao jornal Diário do Grande ABC, que alguns calouros foram obrigados a ingerir bebidas alcoólicas e estariam sob ameaça de tesouras. Uma viatura da polícia chegou a ir ao local, mas o estudantes afirmaram que iriam acabar com a brincadeira e alguns calouros disseram que estavam no local por espontânea vontade, o que fez com que os oficiais fossem embora e o trote continuasse.

    O trote é proibido na faculdade desde o início do ano com portaria assinada pelo diretor da faculdade que proíbe o trote violento durante a recepção aos calouros. Como o diretor não conseguiu identificar os estudantes envolvidos, resolveu suspender todos os alunos.

    Os calouros também foram punidos por dizerem que não foram obrigados a participar das brincadeiras e que estavam lá porque queriam. "Portanto, eles também estavam descumprindo a portaria", afirmou Paschoal. Entretanto, depoimentos de pais de alunos, seguranças do campus e calouros contam que boa parte dos novos estudantes chorava durante o trote, que incluiu violência física segundo uma caloura entrevistada. Os mesmos trotes acontecem no campus desde 2000 e que apenas desta vez uma atitude foi tomada, comentavam hoje os estudantes suspensos.

    Conforme o Diário do Grande ABC, o trote aconteceu no estacionamento da Faculdade de Engenharia da Fundação Santo André, instituição de ensino que tem seu campus ao lado da Faculdade de Medicina do ABC, e contou com a participação de cerca de 300 estudantes, entre alunos veteranos e calouros. A assessoria de imprensa da Fundação Santo André informou que não autorizou o uso do espaço e que investigará o caso.

    Desde que o diretor assumiu a Faculdade de Medicina iniciou uma campanha para acabar com os trotes violentos e promover atividades solidárias na recepção aos calouros. Os estudantes afirmaram que foram informados sobre a realização de trote solidário e a proibição de atividades no campus durante a realização da matrícula. Na ocasião, foi solicitada a doação de uma cesta básica, que seria entregue a instituições de caridade.

    Segundo o diretor da Faculdade de Medicina, a suspensão é por tempo indeterminado. "Vou me reunir com representantes dos alunos antes de decidir o que fazer", disse.

  • Redação Terra