inclusão de arquivo javascript

 
 

Laudo: ao menos um incêndio do HC foi criminoso

14 de março de 2008 16h46 atualizado às 18h26

Um laudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) apontou que o incêndio ocorrido no 6º andar do prédio dos ambulatórios do Hospital das Clínicas de São Paulo, no dia 23 de janeiro, foi criminoso. Segundo o documento, foram achados vestígios de uso de álcool no local, "concluindo-se que foi deliberadamente provocado".

» Serra: incêndio teria sido criminoso
» Sala do HC é interditada após incêndio
» Opine sobre o assunto
» vc repórter: mande fotos e notícias

O laudo do IPT também aponta que o outro incêndio ocorrido no subsolo do mesmo prédio, no dia 24 de dezembro, foi causado após a ação humana. Os peritos encontraram fios elétricos cortados, o que, segundo o laudo, provocou o fogo. No entanto, o laudo não aponta que este incidente tenha acontecido de forma criminosa. A administração do hospital suspeita que os fios teriam sido furtados, pois foi registrado um furto semelhante no Instituto do Coração, em frente ao HC, em janeiro.

"O segundo incêndio foi comprovadamente deliberado e aconteceu com uso de álcool. A causa provável do primeiro incêndio deve-se a cortes feitos na fiação, que desencadeou o fogo. Posteriormente ao incêndio, foi constatado o furto de grande quantidade de fios elétricos do Insitituto do Coração, que fica em frente ao Hospital das Clínicas", disse o superintendente do HC, José Manoel de Camargo Teixeira.

Segundo Teixeira, circulam diariamente 10 mil pessoas no prédio dos ambulatórios do Hospital de Clínicas. O superintendente afirmou que uma sindicância interna apura os fatos do primeiro incêndio e que a segurança foi reforçada. Teixeira disse, entretanto, que não quer aumentar demais a segurança do hospital para não atrapalhar os procedimentos do hospital. "Não queremos transformar o hospital em uma prisão", disse.

Redação Terra