inclusão de arquivo javascript

 
 

Advogado: Beira-Mar está estarrecido com operação

23 de novembro de 2007 22h31

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, teria expressado nesta sexta-feira preocupação com os familiares presos ontem pela Polícia Federal (PF), acusados de receber suas ordens para manter em operação uma quadrilha de tráfico internacional de drogas e armas. "Ele está estarrecido com tudo isso, diz que não entende o motivo dessa operação", disse o advogado Luiz Gustavo Battaglin Maciel, que esteve com o traficante durante uma hora no final da tarde de hoje no Presídio Federal de Campo Grande (MS).

» Veja fotos da operação
» PF prende mulher de Beira-Mar
» Mulher de Beira-Mar assumiu negócios
» Presos advogados de traficante

Entre os presos está Jaqueline Alcântara de Morais, mulher do traficante e apontada como principal canal de Beira-Mar para comandar a organização criminosa de dentro do presídio.

Segundo o advogado, Beira-Mar negou que esteja comandando o tráfico de dentro da cadeia e disse ter ficado surpreso com a prisão de seus familiares. Ele ficou sabendo da operação Fênix, que prendeu 11 pessoas, quando uma equipe da Polícia Federal entrou em sua cela por volta das 6h30 de ontem.

Battaglin, que defende Beira-Mar em um processo que corre na Justiça Federal de Campo Grande por lavagem de dinheiro, teve hoje acesso a "uma parte dos autos" da investigação que desencadeou a operação Fênix.

Redação Terra