inclusão de arquivo javascript

 
 

"Franciscanos" do PPS são detidos no Congresso

09 de outubro de 2007 15h17 atualizado às 18h44

Cerca de 10 pessoas da Juventude Popular Socialista, movimento ligado ao PPS, fizeram protesto nesta terça-feira no Senado Federal vestidas de franciscanos. Os jovens pretendiam entregar a Renan Calheiros (PMDB-AL) e a outros senadores peemedebistas sandálias de dedo em uma alusão ao senador Wellington Salgado (MG), que disse que alguns senadores do seu partido tinham virado franciscanos.

» Veja o vídeo
» vc repórter: mande fotos e notícias

Ao tentar entrar no Plenário, os manifestantes foram barrados e arrastados pelos seguranças da Casa para prestar esclarecimentos à Polícia Legislativa. Os seguranças afirmaram que qualquer manifestação de protesto ou de apoio é proibida dentro do Congresso Nacional.

O secretário nacional de organizações da Juventude Popular Socialista, Anderson Martins, disse que o protesto aconteceu para lutar contra todos os senadores que usam o Senado "como um grande balcão de negócios". "É uma manifestação contra Wellington Salgado e contra todos os senadores, de preferência do PMDB, que transformam o Congresso Nacional nessa esculhambação", afirmou.

Segundo ele, os manifestantes foram ao Congresso Nacional para "exorcizar o Senado sob a proteção de São Calheiros".

Os senadores peemedebistas Pedro Simon (RS) e Jarbas Vasconcelos (PE) foram à Secretaria de Polícia Legislativa, onde os manifestantes estão detidos.

O senador Jefferson Peres (PTD-AM) concordou com a manifestação e repudiou a atitude dos seguranças. "Tomara que esses protestos se multipliquem", disse ele.

O ato aconteceu no mesmo dia em que a oposição prometeu entrar com a quinta representação contra Renan Calheiros.

Com agências

Redação Terra