inclusão de arquivo javascript

 
 

Aeroportuários: novo aeroporto é desnecessário

20 de julho de 2007 18h49 atualizado às 19h45

O presidente do Sindicato Nacional dos Aeroportuários, José de Alencar Sobrinho, considera desnecessária a construção de um novo aeroporto na região metropolitana de São Paulo. O anúncio foi feito nesta sexta-feira pelo governo federal, três dias depois que um avião da TAM saiu da pista do aeroporto de Congonhas e matou pelo menos 187 pessoas. Segundo ele, sairia mais barato construir um trem-bala entre Campinas e São Paulo, para aproveitar a estrutura do aeroporto de Viracopos.

» Veja fotos do acidente
» Avião da TAM tenta pousar
» Veja lista de passageiros e empregados
» Opine sobre o acidente
» Mande mensagens aos familiares
» vc repórter: mande fotos e relatos

"Existem dois aeroportos importantes em São Paulo alternativos a Congonhas: Viracopos, em Campinas, e Guarulhos, na região metropolitana, que têm todas as condições de absorver a demanda que existe hoje no aeroporto de Congonhas", afirma.

Ele lembra que a construção de um novo aeroporto traz implicações ambientais e sociais, seja qual for a localidade escolhida para sua instalação. Alencar defende a realização de adequações na malha viária brasileira, especialmente nas regiões metropolitanas do País.

Em relação à determinação do Conselho de Aviação Civil (Conac) de restringir o número de vôos em Congonhas, Alencar diz que a medida pode ser positiva. "Qualquer medida restritiva em relação aos vôos no aeroporto de Congonhas que for para a melhoria do atendimento ao público usuário e para a segurança dos usuários e moradores do entorno do aeroporto tem a aprovação do Sindicato dos Aeroportuários", afirma.

O governo federal decidiu construir um novo aeroporto no Estado de São Paulo para dar conta do aumento do número de vôos e evitar sobrecarga no Aeroporto Internacional de Congonhas. Segundo a Aeronáutica, a obra não será realizada em nenhuma cidade onde já há aeroportos, como São Paulo, Campinas, Guarulhos ou São José dos Campos.

Agência Brasil