inclusão de arquivo javascript

 
 

Avião cai e deixa 2 mortos em São José dos Campos

15 de março de 2007 12h17 atualizado às 17h14

A aeronave, que pertencia ao Aeroclube de São José dos Campos, atingiu uma oficina mecânica no bairro Jardim das Acácias. Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Futura Press

A aeronave, que pertencia ao Aeroclube de São José dos Campos, atingiu uma oficina mecânica no bairro Jardim das Acácias
Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Futura Press

Duas pessoas morreram em um acidente aeronáutico ocorrido por volta de 12h15 em São José dos Campos (SP), interior de São Paulo. O instrutor Lucas Intrieri, que tinha cerca de mil horas de vôo e era considerado um piloto experiente, morreu no momento da queda. O aluno Daniel Sachetti foi levado em estado grave para o Pronto-Socorro da Vila Industrial, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta de 14h.

» Veja mais fotos

O avião monomotor, modelo Uirapuru, prefixo PT-GAB, teria decolado do aeroporto de São José às 10h30 para um vôo de treinamento e caiu por volta das 12h15 em cima de uma oficina mecânica no bairro Jardim das Acácias, a poucos metros do Comando Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA), onde fica o aeroporto.

O avião era utilizado para treinamento de pilotos pelo aeroclube da cidade. Ainda não se sabe a causa do acidente. No momento do vôo, as condições do tempo eram boas e não haviam outros aviões no circuito de tráfego que justificasse alguma manobra brusca da aeronave.

O mecânico Alessandro Silva dos Santos, 33 anos, estava na oficina no momento do acidente e se assustou com o barulho, pensando que fosse a explosão de um botijão de gás. Ele foi atingido superficialmente por estilhaços na parte superior da cabeça.

"Foi um barulhão, na hora, pensei que fosse um botijão de gás que estivesse explodido. Até que não machucou muito, tonteei só". Mais calmo depois do acidente, Santos até brincou com sua sorte ao não sofrer ferimentos mais graves. "Dinheiro não cai do céu".

O presidente do aeroclube de São José, Hugo Boschetti, disse estar surpreso com a queda da aeronave. "Não dá para saber o que aconteceu. Eles estavam voando normalmente e, de repente, o avião caiu igual a uma pedra, bem na reta de aproximação da pista". Segundo Boschetti, Intrieri estava treinando Sachetti em um procedimento denominado toque e arremetida. Neste procedimento, a aeronave circula o aeroporto, pousa e logo depois acelera para decolar novamente.

A área do acidente está isolada. Bombeiros, Polícia Militar e a Guarda Municipal de São José dos Campos estão preservando o local para que técnicos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) possam recolher os destroços e identificar a causa do acidente. Ainda não se pode afirmar se houve falha humana ou mecânica.

Os peritos da Aeronáutica deverão fazer uma avaliação da estrutura e das peças do avião acidentado para verificar se existem sinais de fadiga que comprovariam uma falha mecânica. Como a aeronave é de pequeno porte e não possui o gravador de bordo, chamado de "caixa preta", a outra linha de investigação, que irá verificar a possibilidade de falha humana, será baseada na gravação do contato dos pilotos com a torre de controle de São José.

Redação Terra