inclusão de arquivo javascript

 
 

Câmara absolve José Janene, o último mensaleiro

06 de dezembro de 2006 22h27 atualizado em 07 de dezembro de 2006 às 07h32

A Câmara dos deputados absolveu nesta quarta-feira o último deputado acusado de participar do esquema conhecido como mensalão. José Janene (PP-PR) é suspeito de se beneficiar de mais de R$ 4 milhões das empresas do publicitário Marcos Valério de Sousa, um dos principais operadores do esquema. 210 deputados votaram pela cassação, 128 contra e houve 23 abstenções e cinco brancos. Apesar da votação a favor superar os contrários, a Casa prevê a cassação somente com a maioria dos votos do total de deputados. Isso significa 257 de 513.

» CORREÇÃO: Câmara absolve José Janene, o último mensaleiro

O relatório derrotado, que pedia pela cassação de Janene, foi apresentado no Conselho de Ética pelo deputado Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS). Em sua defesa, Janene alegou que não teve tempo suficiente para depor como testemunha, já que passou por diversos problemas de saúde.

"Justa seria a concessão da aposentadoria e não a cassação do representado", disse o líder do PP na casa, Mário Negromonte (BA). O advogado de defesa de Janene, Marcelo Leal, também usou o argumento de que o representado deveria ter sido aposentado antes da instalação do processo.

Chico Alencar (Psol-RJ),um dos poucos a subir na tribuna para falar contra Janene, respondeu ao advogado: "Aposentadoria não é anistia. Isso é uma vergonha, Janene foi um dos representados do processo espúrio que levou ao mensalão. Para Alencar, o julgamento não deveria ter relação nenhuma com o estado de saúde de Janene.

De todos os suspeitos de participação no esquema do mensalão, 12 foram absolvidos pelo plenário da casa, três foram cassados e outros quatro renunciaram a seus cargos.

Redação Terra