inclusão de arquivo javascript

 
 

No RJ, Lula diz que 'Deus sabe quem está fazendo'

14 de junho de 2006 12h59 atualizado às 13h25

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje em São Gonçalo (RJ), durante lançamento da pedra fundamental do Complexo Petroquímico do Rio (Comperj), que 'tem um tipo de gente que torce para que o governante não faça nada ou erre para justificar o seu discurso'. "Quem quiser falar bem, eu fico agradecido. Quem quiser falar mal, também agradeço, pois Deus sabe quem está fazendo", disse Lula.

"Quem tem um mínimo de dignidade não pode prejudicar quem não é de seu partido", afirmou Lula. O presidente citou o prefeito do Rio, Cesar Maia (PFL), dizendo que já recebeu várias cartas dele elogiando a administração federal.

Lula disse que o Brasil vai se transformar em um país exportador de petróleo. "O que está acontecendo aqui em São Gonçalo, só vamos ter noção daqui a cinco anos. É como uma planta", comparou o presidente. "São Gonaçlo será o maior centro de inteligência em petróleo da América Latina", disse o presidente.

O Comperj é o maior projeto individual da história da Petrobras. Com investimentos da ordem de US$ 6,5 bilhões. Ele deve começar a operar em 2012, com capacidade inicial de processamento de petróleo de 150 mil barris/dia.

O presidente anunciou que 212 mil empregos devem ser gerados durante a obra. "Não é só o RJ que ganhará. Pesquisas permitirão que o complexo de Itaboraí produz insumos importados, como nafta, a partir da extração do petróleo", disse Lula.

Para o presidente, a Petrobras não pode dedicar-se apenas à prospecção de petróleo. "A Petrobras é tão grande, é tão importante para o Brasil, é o filho que todo mundo gostaria de ter. É uma espécie de Ronaldinho das indústrias brasileiras", elogiou Lula. O discurso de Lula começou por volta das 12h50, e foi precedido pela fala de diversos prefeitos. Por caua do grande público presente, Lula teve que organizar a disposição das autoridades. "É melhor os vereadores entrarem aqui por trás do que ficar essa muvuca aqui", disse o presidente. Ele também reclamou da qualidade do som.

Redação Terra