0

Incêndio em Boate no sul do Brasil deixa 245 mortos

27 jan 2013
12h22
atualizado às 12h24

Um incêndio em uma boate da cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, deixou 245 mortos e dezenas de feridos, e as autoridades estimam que o número de mortos pode aumentar.

"São 245 mortos e 48 pessoas no hospital", declarou à AFP o major Cleberson Bastianello, comandante do segundo batalhão de operações especiais de Santa Maria, a 300 km de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul.

"Entraram em pânico e acabaram pisoteando uns aos outros. A principal causa de morte foi a asfixia", disse o comandante dos bombeiros Guido de Melo, citado pelo jornal Estadão.

"Todos estavam empurrando, foi questão de segundos. O fogo era pouco, mas em questão de segundos se expandiu", disse Taynne Vendrusculo, uma das sobreviventes, que conseguiu escapar porque estava perto da porta. "Quem estava no palco não podia sair", contou.

"Era uma porta muito pequena para que tanta gente saísse", disse outra testemunha, Luana Santos Silva, à rede Globo.

Usando marretas, pessoas abriram buracos nas paredes do local para facilitar os trabalhos de resgate e a saída da forte fumaça que tomou conta do local, onde as equipes de socorro ainda estão trabalhando.

Os corpos foram levados em caminhões a um estádio esportivo, que foi isolado pela polícia para impedir a invasão de parentes e amigos desesperados em busca de informação.

A presidente Dilma Rousseff suspendeu sua agenda no Chile, onde participava de uma cúpula entre América Latina e Europa, para visitar o local da tragédia.

"Neste momento de tristeza, estamos juntos", afirmou Rousseff aos jornalistas brasileiros em Santiago, visivelmente emocionada.

"É uma tragédia para todos nós, não vou continuar na reunião, pois quem precisa de mim é o povo brasileiro", acrescentou, ao anunciar que governo e autoridades regionais estão mobilizando "todos os recursos para que possamos fazer não apenas o resgate dos corpos, como também dar apoio às famílias em um momento assim, e dar atenção eficiente aos feridos", acrescentou.

"Hoje não há uma família, um pai ou uma mão que não esteja sofrendo", declarou, por sua vez a ministra de Direitos Humanos, Maria do Rosário, que já se encontra no cenário da tragédia.

Ela deve se reunir com as famílias das vítimas do incêndio.

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, também visitará a região, depois de ter conversado com a presidente e de ter recebido todo o apoio necessário após a tragédia.

O fogo teve início pouco depois das 02h00 deste domingo na boate Kiss, onde era realizada uma festa universitária.

Por volta das 07h00, o incêndio foi controlado e teve início o resgate dos corpos.

As autoridades indicaram que encontraram cadáveres nos banheiros do local, onde, presume-se, as vítimas tentaram buscar refúgio.

Segundo as primeiras hipóteses, o incêndio teria começado por um sinalizador utilizado por um membro da banda que se apresentava no local.

"A banda estava no palco e começou a usar fogos e de repente pararam o show e apontaram para o fogo no teto. Ali começou o fogo, era leve, mas em questão de segundos começou a crescer', disse Michele Pereira, uma das pessoas que estava no local.

A polícia investiga as causas do incêndio.

"Estamos tentando entender exatamente o que ocorreu dentro para depois contactar os responsáveis do local", disse, por sua vez, Sandro Meinerz, também da polícia.

"Domingo triste! Estamos tomando todas as medidas possíveis. Estarei em Santa Maria no fim da manhã", disse o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, em sua conta na rede social Twitter.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva expressou sua "solidariedade aos amigos e familiares das vítimas e a toda a população da cidade". "Todo o Brasil está triste e de luto", acrescentou.

Santa Maria, com 262 mil habitantes, está situada a 300 km de Porto Alegre, e boa parte de sua população é formada por estudantes universitários.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade