0

Governo libera R$ 780 mi para áreas atingidas por catástrofes

12 jan 2011
19h58
atualizado às 20h29
Laryssa Borges
Direto de Brasília

A presidente Dilma Rousseff (PT) assinou, nesta quarta-feira, uma medida provisória autorizando a liberação de R$ 780 milhões para atender Estados e municípios atingidos pelas chuvas e por outras situações de calamidade, como a estiagem na região sul.

Deste montante, R$ 700 milhões são para ações de Defesa Civil voltadas para as vítimas das chuvas (cesta básicas, barracas, colchões) - sendo R$ 100 milhões apenas para programas de prevenção de catástrofes em rubricas do Ministério da Integração. Os outros R$ 80 milhões serão para o Ministério dos Transportes atuar na desobstrução e reconstrução de estradas, rodovias e pontes.

Os recursos poderão ser aplicados por Estados e municípios para as situações de catástrofe já consolidadas e eventuais problemas futuros decorrentes de chuva ou de seca prolongada.

A própria Dilma decidiu sobrevoar as áreas atingidas pelas chuvas no Rio de Janeiro e embarcará nesta quinta-feira para a região serrana do Estado, onde até agora já morreram 178 pessoas. Será a primeira vez desde que tomou posse que a presidente deixará Brasília para um compromisso oficial.

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, foi designado para traçar um diagnóstico da situação de catástrofe no Rio de Janeiro e irá se reunir nesta quinta com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para apontar as carências das regiões atingidas pelas chuvas, em especial do município de Franco da Rocha.

Mais de 200 mortes no Rio
As fortes chuvas que atingiram os municípios da região serrana do Rio de Janeiro provocaram a morte de pelo menos 239 pessoas desde a noite de terça-feira, segundo levantamento feito pelo Terra a partir de dados das defesas civis municipais. Entre as vítimas, estão três bombeiros que seguiam para Nova Friburgo para auxiliar no resgate de famílias soterradas.

Na Grande São Paulo e interior do Estado, pelo menos 13 mortes foram contabilizadas pelo Corpo de Bombeiros por causa das chuvas que começaram a cair ainda na noite de segunda-feira. A madrugada de terça-feira foi caótica, com mais de 10 horas de chuva e 53 pontos de alagamento por conta do transbordamento de vários córregos e de trechos do rio Tietê.

A pior situação é a da cidade de Franco da Rocha, que está em situação de emergência. Por causa da chuva, o município está ilhado. Uma escola municipal está servindo para abrigo. Técnicos da Defesa Civil estão tendo que usar botes para resgatar os moradores.

Em Petrópolis (RJ), casas ficaram completamente destruída após passagem da chuva
Em Petrópolis (RJ), casas ficaram completamente destruída após passagem da chuva
Foto: Matheus Quintal/Prefeitura Petrópolis-RJ / Divulgação
Fonte: Redação Terra
publicidade