3 eventos ao vivo

Gibi da Mônica contra trabalho infantil será distribuído nas ruas

9 out 2012
13h55
atualizado às 17h45
Hermano Freitas
Direto de São Paulo

O criador da turma da Mônica, Mauricio de Sousa, criou uma edição especial do gibi contra o trabalho infantil que será distribuído nas ruas de sete capitais brasileiras como parte de uma campanha para erradicar a exploração de crianças. O gibi Trabalho Infantil, nem de brincadeira! é parte de uma campanha da Fundação Telefônica Vivo, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT) com o mote "É da nossa conta!".

Durante o lançamento nesta manhã, em São Paulo, o cartunista procurou mostrar como o tema é atual dizendo que é mostrado inclusive na novela das 21h da Rede Globo, Avenida Brasil. "Você vê aqueles meninos e meninas no lixão, são um bom exemplo de como o trabalho infantil acontece neste País, roubando a oportunidade de crianças. Não queremos Carminhas e Max por aí", brincou. Sobre a distribuição das revistinhas, Mauricio disse que ela vai "competir" com a mendicância de crianças nas sinaleiras. "Temos que inventar caminhos, estratégias e modas para abordar o tema. Tem quem não queira enxergar o problema", afirmou

Além da distribuição de gibis, foram gravados comerciais em vídeo para veiculação nas redes sociais, apostando na chamada "viralização" da campanha. A embaixadora do Unicef Daniela Mercury e o fundador e coordenador geral da ONG Doutores da Alegria, Wellington Nogueira, se engajaram na campanha e gravaram os vídeos.

Incentivadora da campanha, a Telefônica Vivo almeja a corresponsabilização de sociedade e Estado com o lema. "O mote 'É da nossa conta!' chama atenção para o aspecto da corresponsabilização da sociedade civil e do Estado na garantia dos direitos da infância e adolescência, destacando um problema que se tornou opaco e culturalmente aceito, mas que de fato atinge milhares de crianças", explica Françoise Trapenard, presidente da Fundação Telefônica Vivo.

Os eventos da campanha se darão em outubro, devido ao Dia das Crianças, nas seguintes capitais: São Paulo (SP) - 11/10; Salvador (BA) - 18 a 21/11; Teresina (PI) - 04 a 07/11; Belém (PA) - 21 a 24/10; Curitiba (PR) - 28 a 31/10; Brasília (DF) - 14 a 17/10 e Fortaleza (CE) - 28 a 31/10. Durante essas intervenções, haverá conversa com os transeuntes, além de distribuição de gibis da Turma da Mônica; 3.500 adesivos; 50 mil encartes para adolescentes; e 50 mil cartilhas, além de fitinhas do Nosso Senhor do Bonfim. A campanha também terá outras peças, como banner humano, cartaz pirulito e camisetas.

A organização não governamental Viração Educomunicação - que trabalha desde 2003 com o público adolescente e jovem e tem experiência em campanhas de mobilização social - fará a coordenação executiva da campanha. A ONG vai auxiliar a Fundação Telefônica Vivo a realizar a articulação de parceiros que produzirão conteúdo - como vídeos e notícias - para ser compartilhado via redes sociais.

Assim, as ONGs Cidade Escola Aprendiz, idealizada pelo jornalista Gilberto Dimenstein; e a Repórter Brasil, referência no combate ao trabalho escravo, participarão ativamente da campanha. O Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor (Ceats), gestor da Rede Promenino, também será parceiro de conteúdo.

"Estamos apostando em criatividade e em meios mais interativos, que permitam que a sociedade participe, opine e ajude a construir a campanha", afirma Gabriella Bighetti, diretora de Ação Social da Fundação Telefônica Vivo. A rede Promenino (www.promenino.org.br<) terá, portanto, um hotsite com informações, vídeos-pílulas com celebridades e conteúdos regionalizados sobre as iniciativas programadas. Será criado, ainda, um canal exclusivo para adolescentes.

Protagonismo juvenil
Trinta adolescentes paulistanos receberão formação sobre trabalho infantil e adolescente. Deste total, 15 serão acompanhados pela equipe de educomunicadores da Viração na produção de um encarte para outros adolescentes que serão distribuídos nas cidades onde haverá os lançamentos. Eles também produzirão conteúdo para a Agência Jovem de Notícias (www.agenciajovem.org).

Aos filhos dos colaboradores da Telefônica Vivo na cidade de São Paulo serão oferecidas oficinas focadas na afirmação dos direitos da criança e do adolescente. As crianças poderão confeccionar jornal mural, grafite e estêncil, além de produzir vídeos de bolso sobre o tema. "Enquanto o País tiver crianças trabalhando para sobreviver ou adolescentes se submetendo a trabalhos que comprometem seu pleno desenvolvimento como cidadãos, todo esforço por transformar esta indignação em ações concretas de proteção integral deve obter a solidariedade da comunidade nacional e internacional", diz Renato Mendes, coordenador nacional do Projeto Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil (IPEC, pela sigla em inglês) da OIT.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade