1 evento ao vivo

Donos da pousada vão lançar cinzas da filha ao mar de Angra

4 jan 2010
02h57

Amparados por parentes e amigos, os donos da Pousada Sankay, na Ilha Grande, Angra dos Reis, e pais de Yumi Faraci, Geraldo e Sônia Faraci, compareceram desolados ontem ao velório da filha, uma das 46 vítimas dos deslizamentos de terra na cidade. A jovem de 18 anos foi velada e cremada no Cemitério Renascer, em Contagem (MG), e terá suas cinzas jogadas sobre o mar de Angra. "Estava todo mundo deitado, quando tudo veio abaixo. Não tinha como saber o que estava acontecendo. A princípio, achei que todo mundo ia morrer. Consegui sair do quarto, estava tudo escuro", contou o estudante de Artes Visuais da Gustavo Pucci, colega da jovem, durante o velório. Sobre o fato de ter conseguido sair antes da avalanche de terra, ele definiu: "Foi um milagre". Gustavo fazia parte do grupo de universitários convidados por Yumi para passar o Réveillon na pousada.

"Estou acabado. Estou bem de saúde, mas o coração está péssimo. É um momento muito difícil", disse. Ainda em Minas, foi enterrado o casal de namorados Isabela Godinho e Paulo Sarmiento, 27 anos, colegas de Yumi. "Foi uma grande perda. O Paulo era mais que um irmão pra mim, era meu pai", desabafou o irmão caçula Cristiano Sarmiento.

A tragédia também abalou um grupo de amigos de infância de Arujá, na Grande São Paulo. A tradição era passar a cada ano o Réveillon numa cidade diferente, e o grupo de 17 pessoas alugou uma das sete casas soterradas na Enseada do Bananal. Entre os mortos estão a empresária Cecíla Secco Bacci, grávida de 6 meses, o marido Márcio Luiz Baccin, e o filho deles, Geovanne, 3 anos, o casal de amigos Ricardo Ferreira, 33, e Natália Costa, 24 anos, enterrados ontem no Cemitério Parque Pousada da Paz, em Arujá. A família paulista tinha se mudado há quatro anos para a cidade Lauro de Freitas, na Bahia. "Eles estavam adaptados à nova vida, à espera do novo filho, estavam muito felizes", lamentou Germano Bradino, primo de Cecília.

Velório coletivoIntegravam o grupo ainda o produtor agrícola Adalto de Souza, 31 anos, sua filha Rafaela de Souza, 8 anos, e a namorada dele, Priscila de Oliveira, 26 anos, Keller Simão, 35 anos, e a namorada, Joyce Yamato, 30 anos, e o filho dele Gustavo Sagaz, 10 anos. Os corpos foram velados no ginásio poliesportivo da cidade e devem ser enterrados hoje.

Procura angustiante pela filha
Pai da gerente de vendas Fernanda Muraca dos Reis, 27 anos, o bancário aposentado Norberto Pires Reis, 59, era o mais desolado ontem no IML do Rio por ainda não ter localizado o corpo: "Não consigo dormir, comer e nem tenho mais prazer de viver. Onde ela está sepultada para eu levar uma flor? Onde vou acender uma velinha pra ela; no mar, na Ilha Grande? Tenho que me despedir. Ela saiu e eu nem lhe dei abraço. Depois, me ligava todo dia dizendo que estava chovendo muito por lá. Só que eu achava muito estranho a insistência dela para falar toda hora com a mãe".

Fernanda, que estava com o namorado, o comerciante Luiz Henrique Alegri, 30, desapareceu com a amiga, a dentista Emanuela Neves, 32, namorada de Flávio Larine, filho do prefeito Abel Larini. A moradora da Ilha Grande Roseli Marcelino Pedroso, 34, é a terceira desaparecida.

Fonte: O Dia
publicidade