Fale conosco
Mande suas críticas e sugestões. Participe!

 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email
Crise no Governo
Segunda, 17 de abril de 2006, 21h51 
Amigo de Lula avisa à CPI que não vai depor na terça
 
 Últimas de Crise no Governo
» Badalados, Ronaldinho e Barcelona chegam ao Japão
» Garibaldi confirma data da leitura de relatório
» Relator busca ajuda para indiciar assessor de Lula
» Amigo de Lula avisa à CPI que não vai depor na terça
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O advogado Roberto Teixeira, compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, informou à CPI dos Bingos que não comparecerá à sessão da comissão na manhã dessa terça, para a qual havia sido convocado como depoente.

Em documento enviado por fax para a secretaria da CPI Teixeira argumenta que só recebeu a convocação oficial para depor no final da tarde desta segunda e que não teria tempo para se deslocar de São Paulo até Brasília. As informações são da assessoria da CPI.

Teixeira também argumentou que precisa consultar seus médicos para saber se poderia prestar o depoimento, pois submeteu-se recentemente a uma cirurgia cardíaca.

Segundo a mídia, o advogado também argumentou que a intimação não esclarece os motivos do depoimento e teme que ele seja utilizado para "criar fatos políticos" com base nas relações pessoais que ele mantém com o presidente da República.

O senador Tião Viana (PT-AC) impetrou ação no Supremo Tribunal Federal para impedir a CPI dos Bingos de tratar de assuntos diferentes do "fato determinado" que justificou sua criação: investigar as relações entre jogos de azar e lavagem de dinheiro.

Teixeira é amigo de Lula desde os anos 1970, quando o presidente era sindicalista no ABC. Nos anos 1980, Teixeira cedeu gratuitamente uma casa de sua propriedade para Lula morar com a família.

Veja a íntegra da nota enviada por Roberto Teixeira:

1) Neste dia de 17 de abril de 2006 recebi em meu escritório de advocacia, situado em São Paulo, às 17h30, ofício com a mesma data contendo intimação para depor na "CPI dos Bingos" amanhã (18/04/2006) às 11h;

2) Todavia, conforme manifestação transmitida ao Presidente da "CPI dos Bingos" - o Exmo. Sr. Senador Efraim Morais - por volta das 18h de hoje, referida intimação não poderá ser atendida, pois o tempo é muito exíguo e impede que eu possa organizar o meu deslocamento até Brasília, bem como as informações necessárias para atender dita intimação (são menos de 18 horas entre a intimação e o ato);

3) Além disso, conforme noticiado pela imprensa, fui submetido a relevante cirurgia cardíaca em data recente e tenho de consultar os médicos que me acompanham a fim de verificar se as minhas condições de saúde permitem atender ao objeto da intimação antes mencionada;

4) Registre-se, ainda, que a intimação que me foi dirigida pela "CPI dos Bingos" não contém qualquer esclarecimento a respeito da condição que os Ilustres Parlamentares pretendem realizar a minha oitiva - testemunha ou acusado -, como seria de rigor à luz do devido processo legal e demais princípios constitucionais dele decorrentes.

5) Afora o quanto exposto, reafirmo desde logo que não participo ou participei de qualquer atividade ilegal e muito menos que se insira no fato certo e determinado que motivou a instauração da CPI dos Bingos, o que torna a minha convocação absolutamente em desacordo com a Constituição Federal e com o ordenamento jurídico pátrio.

6) Até porque, conforme manifestação de diversos Parlamentares, o objetivo da minha convocação é exclusivamente o de criar fatos políticos com base em relação privada de amizade e compadrio que mantenho há muito tempo com o Sr. Luis Inácio Lula da Silva, atualmente o Exmo. Sr. Presidente da República.
 

Reuters

Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.