Fale conosco
Mande suas críticas e sugestões. Participe!

 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email
Crise no Governo
Sexta, 16 de setembro de 2005, 16h34  Atualizada às 23h16
Lula critica corrida pela presidência da Câmara
 
 Últimas de Crise no Governo
» Badalados, Ronaldinho e Barcelona chegam ao Japão
» Garibaldi confirma data da leitura de relatório
» Relator busca ajuda para indiciar assessor de Lula
» Amigo de Lula avisa à CPI que não vai depor na terça
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo trabalhando com a provável renúncia do presidente da Câmara, criticou nesta sexta-feira o lançamento e a discussão de nomes antes da decisão de Severino Cavalcanti. "Tem muita gente aí picada pela mosca azul", disse ao indicar que a eleição mexe com o ego dos parlamentares. Lula fez a afirmação em conversa com dirigentes políticos no final da manhã após a inauguração do Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, em Maceió.

» Tudo sobre a crise no governo
» Fórum: opine sobre a crise no governo

O ministro das Relações Institucionais, Jaques Wagner, revelou também durante o evento que o Planalto estimula uma solução negociada entre os partidos para a eventual substituição do presidente da Câmara. ¿A questão da Câmara requer uma resposta da instituição", disse Wagner. "Ela não pode se transformar numa extensão do governo nem em bastião da oposição."

Para Wagner, a saída de Severino proporcionará aos partidos encontrar essa fórmula, que ele chama de "solução institucional", desde que as legendas do governo e da oposição não tentem transformar a sucessão numa disputa política.

"Não acho que existam critérios acima de qualquer discussão, como a proporcionalidade ou a imposição automática de maiorias partidárias", disse o ministro. "O ponto de partida para a conversa, definida a situação do presidente Severino, é a ausência de vetos, venham da oposição ou da base do governo", acrescentou.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), também presente à inauguração, defendeu uma solução "de entendimento" para o caso de Severino. "Não faltam nomes, falta construir um consenso que permita à Câmara retomar a normalidade e as votações de interesse do país", disse Renan.

Entre os possíveis sucessores de Severino, Renan listou, elogiando todos, o ex-ministro Aldo Rebelo (PCdoB), o ex-presidente da Câmara Michel Temer (PMDB-SP), o relator da CPI dos Correio, Osmar Serraglio (PMDB-PR), o líder do PSDB, Alberto Goldman (SP), os petistas Paulo Delgado (MG), Sigmaringa Seixas (DF) e José Eduardo Cardoso (SP), além do líder do Governo, Arlindo Chinaglia (PT-SP).

Chinaglia também participou da inauguração do aeroporto e é um dos que mais se movimenta para obter apoios, apesar da advertência de Lula sobre a precipitação das candidaturas.

O primeiro vice-presidente da Câmara, José Thomaz Nonô (PFL-AL), também presente, narrou a Lula conversa que teve com Severino quinta-feira em Brasília. "Ele está angustiado com a situação e disse que deve se decidir até quarta-feira", contou Nonô. "Enquanto isso, tentamos realizar as votações normalmente."

Lula elogiou Nonô pela condução da sessão que cassou o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), na quarta-feira. "O presidente não fez comentários sobre o Jefferson, apenas me cumprimentou pela maneira serena como tudo ocorreu, pois sabe das dificuldades que envolvem uma sessão desse tipo", disse o deputado.
 

Reuters

Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.