Fale conosco
Mande suas críticas e sugestões. Participe!

 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email
Crise no Governo
Sexta, 12 de agosto de 2005, 12h42 
Lula diz que se sente traído e pede desculpas
 
Agência Brasil
Lula fala sobre a crise à Nação
Lula fala sobre a crise à Nação
Enquete
O pronunciamento de Lula na TV...
Foi sincero
Não convenceu
Não vi

 Últimas de Crise no Governo
» Badalados, Ronaldinho e Barcelona chegam ao Japão
» Garibaldi confirma data da leitura de relatório
» Relator busca ajuda para indiciar assessor de Lula
» Amigo de Lula avisa à CPI que não vai depor na terça
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em pronunciamento à nação, disse que se sente traído e indignado com a atual situação vivida pelo País. "Quero dizer com toda franqueza que me sinto traído por práticas inaceitáveis, das quais nunca tive conhecimento. Estou indignado com as revelações que aparecem a cada dia e que chocam o País", afirmou o presidente. O pronunciamento, que começou com três horas de atraso, foi feito direto da Granja do Torto, onde Lula coordena a reunião ministerial. Esta foi a primeira vez que o presidente falou à nação sobre a crise.

» Veja o vídeo do pronunciamento
» Veja fotos
» As principais frases de Lula
» Leia a íntegra do pronuciamento
» Tudo sobre a crise no governo
» Fórum: opine sobre a crise no governo

O presidente Lula disse que não tem vergonha de dizer ao povo brasileiro que o PT e o governo têm de pedir desculpas pelo erros que cometeu. Ele afirmou que, se tivesse ao seu alcance, já teria identificado e punido os responsáveis pela situação vivida pelo País. "Por ser o primeiro mandatário dessa nação, tenho o dever de zelar". O presidente citou que perdeu três eleições e ganhou a quarta, mantendo seus ideais.

Segundo o presidente, a crise política compromete todo o sistema partidário brasileiro". Lula disse que não mudou e que a indignação que sente é a mesma que qualquer cidadão honesto deve estar sentindo hoje diante da grave crise.

A revista Época que chega às bancas hoje traz uma entrevista bombástica de Valdemar Costa Neto, presidente do PL, que renunciou ao mandato de deputado federal na semana passada para escapar da cassação. Costa Neto disse à revista que Lula sabia que o apoio do PL à candidatura presidencial dele em 2002 custara R$ 10 milhões. Segundo a revista, a versão de Costa Neto tem algumas contradições, vários pontos obscuros, mas lança luzes sobre como Marcos Valério operava o caixa dois do PT.

Embora cuidadoso para falar a respeito de Lula, Costa Neto afirmou que "Lula, Dirceu e Delúbio administravam o PT juntos. São a mesma família. Por que agora só um deles vai pagar pela desgraça?".

A reunião ministerial começou no início da tarde, horas depois da previsão inicial, na Granja do Torto. O atraso alimentou boatos de que o presidente Lula estivesse gravando um pronunciamento com a ajuda de assessores e ministros.

Este é o primeiro encontro em que estarão presentes os oito novos ministros empossados recentemente (Márcio Fortes, das Cidades, Saraiva Felipe, da Saúde, Nelson Machado, da Previdência Social, Sergio Rezende, da Ciência e Tecnologia, Hélio Costa, das Comunicações, Luiz Marinho, do Trabalho e Emprego, Fernando Haddad, da Educação, e Silas Rondeau, de Minas e Energia).

Durante a reunião, deve ser feito um balanço das atividades realizadas pelo governo e discutidas metas para os próximos meses. Esse é o 11º encontro ministerial promovido por Lula desde que assumiu a Presidência da República, em janeiro de 2003.
 

Redação Terra