Fale conosco
Mande suas críticas e sugestões. Participe!

 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email
Crise no Governo
Sexta, 22 de julho de 2005, 13h46 
Sílvio Pereira assume que ganhou carro de presente
 
 Últimas de Crise no Governo
» Badalados, Ronaldinho e Barcelona chegam ao Japão
» Garibaldi confirma data da leitura de relatório
» Relator busca ajuda para indiciar assessor de Lula
» Amigo de Lula avisa à CPI que não vai depor na terça
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira divulgou uma carta hoje dirigida ao presidente do PT, Tarso Genro, ao Diretório Nacional e à militância petista em que assume ter cometido um erro ao aceitar um carro como presente de seu amigo pessoal e proprietário da empresa GDK. A empresa é especializada na área de exploração petrolífera e que ganhou concorrência de contrato de US$ 90 milhões para efetuar reforma na plataforma P-34, da Petrobras.

» Tudo sobre a crise no governo
» Fórum: opine sobre a crise no governo

Tarso: atitude madura
O presidente nacional do PT, Tarso Genro, considerou o pedido de desfiliação feito pelo ex-secretário geral do PT Sílvio Pereira "uma atitude madura e responsável" de alguém que causou grande dano ao Partido dos Trabalhadores.

"Nós desejamos que ele aproveite a experiência desses eventos negativos e se recupere plenamente para a sociedade e para a atividade política. A comprovação de que o ex-secretário-geral Sílvio Pereira tenha recebido um bem de grande valor, de uma pessoa que provavelmente tivesse algum interesse no relacionamento que ele tinha com o partido e com o Estado, justifica a atitude do pedido de desligamento do PT".

Leia a íntegra da carta:
Ao companheiro Tarso Genro
Aos companheiros do Diretório Nacional
Aos filiados e militantes do Partido dos Trabalhadores

Escrevo esta carta em um momento difícil na trajetória de nosso partido e na etapa mais dura de minha vida. Cometi um erro. Não me esconderei sob o manto da hipocrisia. Sem levar em conta as conseqüências de meu ato, aceitei que César Oliveira, meu amigo pessoal, mas proprietário da empresa GDK, me presenteasse com um carro Defender, produzido pela Land Rover. Nada ofereci ou me foi pedido em troca, minha consciência está tranqüila. Tenho clareza, no entanto, que falhei com minhas obrigações partidárias ao aceitar esta situação.

Desde muito jovem participo da construção do Partidos dos Trabalhadores. Orgulho-me de ser um filho da classe operária e de ter dedicado estes últimos 25 anos à construção de nosso projeto histórico. Busquei dar o melhor de mim nas tarefas recebidas. Acima de minha vida pessoal sempre estiveram os interesses do partido, seu papel na sociedade e a luta do povo brasileiro por sua emancipação. Assim continuo a pensar. Por isto mesmo, ciente dos danos que provoquei com meu erro, peço desculpas à militância petista e minha desfiliação dos quadros partidários. Também informo que já tomei as devidas providências para devolver o automóvel presenteado.

Mesmo fora do PT, seguirei como um lutador social e um militante das causas populares. Estarei ao lado dos companheiros, especialmente nesta hora grave, quando as forças conservadoras se aproveitam de nossas fragilidades para debilitar o partido, sitiar o governo do presidente Lula e derrotar o projeto de democracia, desenvolvimento e justiça social encarnado pela esquerda.

Saudações
Sílvio José Pereira


 

Redação Terra