Crise aérea

Crise aérea

Sexta, 13 de junho de 2008, 19h25 Atualizada às 19h25

Defesa: Justiça procurou Denise no endereço errado

A defesa da ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu divulgou nota informando que não foram procurados, pelo Ministério Público, para esclarecer o pedido para a Justiça apreciar a liminar de quebra de sigilo bancário dela. Segundo a nota, os oficiais de Justiça procuravam pela ex-diretora no endereço errado.

» MP pede decisão em quebra de sigilo
» Advogado: ação é equivocada
» MP entra com ação contra Denise Abreu

De acordo com o Ministério Público Federal, Denise foi intimada pela Justiça no fim de maio para apresentar defesa prévia sobre os atos de improbidade atribuídos a ela. Durante cinco meses, a Justiça Federal tentou intimar a ex-diretora da Anac em sua residência, mas funcionários ou parentes informavam aos oficiais de Justiça que ela não estava, conforme informou o MPF.

"É estranho que o MPF se queixe da demora de cinco meses para intimar Denise Abreu, já que sempre a procuraram na cidade em que não residia. Em todo este período, Denise Abreu residiu em Brasília, em endereço certo e sabido, e onde recebeu e atendeu a todas as intimações que lhe foram enviadas", diz a nota da defesa da ex-diretora da Anac.

Segundo os advogados, a defesa sempre se dispôs a fornecer o endereço quando solicitado. "Aquilo que o MPF chama de 'sua residência' é a casa, em São Paulo, capital, onde residiu antes de sua mudança para Brasília e onde voltou a morar apenas no início deste mês de junho", afirmou o comunicado.

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail

Busca

Busque outras notícias no Terra: