Crise aérea

Crise aérea

Quinta, 7 de fevereiro de 2008, 15h19 Atualizada às 15h31

Anac: um em cada 12 aviões atrasa no País

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) divulgou hoje o primeiro balanço da Operação Carnaval 2008. Entre os dias 28 de janeiro e 6 de fevereiro, os principais aeroportos do País registraram uma média de atraso de mais de uma hora em cerca de 8% dos vôos. Já na Operação Natal-réveillon, essa média foi de 11%. Segundo a agência, o número se mantém alto, já que um em cada 12 aviões continua saindo com atraso no País.

» Confira o seu vôo
» Saiba o que fazer em caso de atrasos
» vc repórter: mande fotos e relatos

Em entrevista coletiva realizada na manhã de hoje no Aeroporto Internacional dos Guararapes, Grande Recife, a diretora-presidente da Agência, Solange Vieira, disse que o movimento nos aeroportos do País foi considerado tranqüilo. A Anac colocou 262 funcionários extras nos principais terminais aeroportuários.

"Nossa intenção é que até o final do ano, possamos mudar nosso referencial de medida de atraso. Ao invés de 1 hora, vamos contabilizar atrasos de meia hora, que é o padrão internacional", disse Solange Vieira.

Segundo a Anac, a OceanAir foi a companhia aérea que registrou o maior índice de atrasos nos últimos 10 dias, um média de 27% dos vôos da empresa. Em segundo lugar está a Gol, com média de 7%, Varig (6%) e TAM (5%).

Além disso, no fim do ano, a OceanAir apresentou a maior média de vôos com atrasos acima de 1 hora: 35%. A empresa também é o principal alvo das reclamações dos passageiros. Sozinha, a OceanAir recebeu 41% das queixas nos Aeroportos de Brasília, Galeão (RJ), Congonhas e Guarulhos (SP).

Solange Vieira disse ainda que a direção da Anac deve se reunir na próxima segunda-feira para estudar medidas contra a OceanAir. "Nossa legislação é muito frágil. É necessário que agora façamos o dever de casa e façamos mudanças estruturais na legislação aérea no País."

Para a o feriado da Semana Santa, a Anac espera um período tranqüilo nos aeroportos e por conta disso, nenhuma operação especial deve ser montada. A meta da agência é que até o final do ano, a aviação brasileira entre nos padrões de qualidade internacional e a média de atrasos de até 30 minutos não ultrapasse os 5%.

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail
Ana Lima Freitas/Especial para Terra Diretora da Anac diz que a meta é reduzir a média de atrasos para 30 minutos até o fim do ano Diretora da Anac diz que a meta é reduzir a média de atrasos para 30 minutos até o fim do ano

Busca

Busque outras notícias no Terra: