Crise aérea

Crise aérea

Quarta, 30 de janeiro de 2008, 19h07 Atualizada às 19h50

Anac: curto tempo de aeronaves em solo gera atraso em vôos

O primeiro balanço da Operação Hora Certa, divulgado nesta quarta-feira pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), aponta que um dos principais motivos para o atraso de vôos no País é a "logística rígida da malha aérea de algumas companhias". Segundo a Anac, as empresas prevêem tempos muito curtos para permanência de suas aeronaves em solo, para maximizar seu uso em vôo, provocando "atrasos em efeito cascata".

» Confira o seu vôo
» Saiba o que fazer em caso de atrasos
» Movimento em aeroportos cresceu 8,24%
» vc repórter: mande fotos e notícias

Durante a fiscalização extraordinária realizada de 21 a 29 de janeiro, a Anac informou que 100% das aeronaves da OceanAir, 65% da Varig, 62% da Gol e 50% da TAM passaram por pelo menos uma inspeção.

Os procedimentos aconteceram em cinco aeroportos, totalizando 234 inspeções. Ao todo, 144 aeronaves foram fiscalizadas no pátio. Outras 46 passaram por inspeções durante o vôo. Além disso, os centros de manutenção de OceanAir, Gol, TAM e Varig também foram observados.

Doze infrações foram registradas, sendo cinco para a OceanAir, três para a TAM, duas para a Varig, uma para a Gol e uma para a BRA. O balanço final da Operação Hora Certa será fechado depois do Carnaval, com a contabilização dos resultados das fiscalizações.

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail

Busca

Busque outras notícias no Terra: