Crise aérea

Crise aérea

Sexta, 21 de dezembro de 2007, 07h18 Atualizada às 10h50

Força-tarefa em aeroportos começa nesta sexta-feira

A Infraero começa nesta sexta-feira a monitorar o funcionamento nos cinco principais aeroportos do País: Congonhas e Cumbica, em São Paulo; Tom Jobim, no Rio de Janeiro; e Juscelino Kubitschek, em Brasília. Também entra em vigor hoje a nova malha aérea prevista para a temporada de férias, com a redução do limite de vôos por hora - a medida vai vigorar até o dia 15 de março. O objetivo é garantir a tranqüilidade dos passageiros nos feriados de Natal e ano-novo.

» Infraero lança pacote para evitar caos
» Congonhas opera com menor nº de vôos
» Jobim anuncia força-tarefa da Anac
» vc repórter: mande fotos e notícias

O plano Verão 2008 da Infraero consiste em colocar fiscais da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) nos aeroportos para verificar se as informações sobre possíveis atrasos nos vôos estão sendo repassadas corretamente pelas companhias aos passageiros. Segundo Jobim, pelo menos 40 fiscais serão responsáveis pelo trabalho em cada aeroporto.

Durante o período de alta temporada, os cinco principais aeroportos do País contarão com Núcleos de Acompanhamento e Gestão Operacional, que funcionarão como uma sala de gerenciamento, 24 horas por dia, onde cada "situação anormal" deverá ser solucionada em um tempo mínimo.

Também serão verificados os casos de overbooking (venda de passagens acima do número de assentos disponíveis no avião) e problemas com bagagens de passageiros. A monitoração das salas de embarque será constante e haverá checagem do funcionamento das esteiras de bagagem, entre outras medidas.

"Se surgir alguma situação anormal, as equipes de plantão informarão aos Núcleos para que a solução possa ser aplicada imediatamente, evitando o efeito cascata sobre outros aeroportos", disse ontem o Diretor de Operações da Empresa, o Tenente Brigadeiro do Ar Cleonison Nicácio Silva, responsável pelo funcionamento das novas medidas.

Silva afirmou ainda que pessoas-chave vão receber relatórios constantes sobre o funcionamento dos estacionamentos; balcões de check-in; saguões e salas de embarque; sistemas de informações; áreas de inspeção de bagagens (raio-x); pátios e demais áreas dos aeroportos.

Para o Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital de São Paulo, a Anac anunciou a redução no número de movimentos (pousos e decolagens) por hora, que, desde 18 de julho era de 33 movimentos por hora (slots). Segundo a agência, serão 32 slots, sendo 30 para a aviação regular e dois para a aviação geral (que compreende jatos particulares e táxis aéreos). Em caso de horários disponíveis, a aviação geral também poderá utilizar os chamados slots de oportunidade.

Ontem, durante café da manhã com jornalistas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu que os passageiros podem enfrentar problemas nos aeroportos nos próximos dias. Entretanto, segundo Lula, os problemas serão em escala menor em comparação a anos anteriores. O presidente voltou a destacar que o grande número de pessoas viajando de avião é um bom sinal para o País.

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail

Busca

Busque outras notícias no Terra: