3 eventos ao vivo

Contrato para compra de bateria antiaérea russa sai em 3 meses

20 fev 2013
16h11
atualizado às 16h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Após assinar acordo de intenções para compra de bateria antiaérea da Rússia, o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas do Brasil, José Carlos de Nardi, afirmou na tarde desta terça-feira que o contrato ficará pronto nos próximos três meses. Além da redação dos termos, o prazo é necessário pela indústria bélica russa para começar a elaborar os dispositivos.

Segundo o Ministério da Defesa, o Brasil vai comprar duas baterias antiaéreas de baixo alcance, modelo Igla, e outras três de médio alcance, modelo Pantsir-S1. O assunto será retomado em alto nível em Durban, na África do Sul, onde a presidente Dilma Rousseff e o presidente russo Vladimir Putin participarão da cúpula das principais economias emergentes do planeta, os Brics, formados por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Os valores são mantidos sob sigilo pelo Ministério da Defesa, mas um interlocutor do governo brasileiro afirma que o negócio pode chegar a R$ 2 bilhões. Nesta quarta-feira, em visita a Brasília, Medvedev conseguiu do governo brasileiro a assinatura do acordo, que também é uma declaração de intenções. Em termos diplomáticos, trata-se de um início de negociação. A exemplo das últimas aquisições militares brasileiras, é condição da negociação sobre baterias antiaéreas a transferência de tecnologia.

Em entrevista coletiva após a visita de Medvedev, o vice-presidente, Michel Temer (PMDB), afirmou que "a presidente definiu que quer comprar (as baterias). Tratou do assunto com o Medvedev e mandou a Fazenda examinar (a negociação)". Segundo ele, "falta só autorização para usar o dinheiro". A declaração de intenções promete “incrementar, a partir de março de 2013, as negociações bilaterais com vistas à possibilidade de preparação de contrato para futuras optenções, por parte do governo do Brasil, de baterias antiaéreas, com o desenvolvimento conjunto de novos produtos de defesa”.

Segundo o documento, obtido antecipadamente pelo Terra, o ato ainda garante “a participação de empresas estratégicas de defesa brasileiras nos processos produtivos e de sustentabilidade logística integrada, com transferência efetiva de tecnologia, sem restrições”.

Audiência com Dilma Rousseff
A agenda de Medvedev é prioritariamente com Temer, mas ele foi recebido em audiência mais cedo pela presidente Dilma Rousseff. Segundo relatos da Secretaria de Imprensa da Presidência da República, eles abordaram assuntos como energia, petróleo, hidrelétricas, energia nuclear e defesa.

Em meio ao pacote logístico para investimentos em rodovias, ferrovias, portos e aeroportos, Dilma aproveitou o encontro com o premiê russo para convidar empresas daquele país a participarem dos processos de licitação em infraestrutura.

Veja também:

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) defende representatividade mínima de 30% de mulheres na direção dos partidos
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade