2 eventos ao vivo

Cineasta Spike Lee espera que STF mantenha sistema de cotas no Brasil

25 abr 2012
19h01
atualizado às 20h27
Diogo Alcântara
Direto de Brasília

No dia em que o Supremo Tribunal Federal (STF) analisou ações que contestam a constitucionalidade das cotas para negros em universidades, o cineasta Spike Lee, importante defensor da causa racial nos Estados Unidos, disse que espera que o sistema de ações afirmativas seja mantido. Ele esteve no final da tarde com a presidente Dilma Rousseff e mais cedo no próprio STF.

O cineasta se encontrou com a presidente Dilma Rousseff nesta quarta-feira
O cineasta se encontrou com a presidente Dilma Rousseff nesta quarta-feira
Foto: José Cruz / Agência Brasil

"Então, espero na minha opinião que a Suprema Corte aprove (a manutenção do sistema de cotas raciais). Não sou expert no Brasil, mas falo como cidadão do mundo", disse Spike Lee.

Ele citou ainda o alto número de afrodescendente no mundo e disse que nos Estados Unidos os sistemas de ação afirmativa levaram negros a posição de destaque nos esportes, negócios e nas artes.

No Brasil, o cineasta deverá entrevistar famosos brasileiros para o documentário Go Brazil GO!. Estão lista o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o ex-jogador Ronaldo Fenômeno, o jogador Neymar, o ator Lázaro Ramos, além dos produtores do documentário, Heitor Dhalia e Tatiana Quintella.

Spike Lee é um cineasta negro que nasceu nos Estados Unidos antes da conquista dos direitos civis. A temática de muitos dos seus filmes gira em torno da questão racial e o preconceito nos EUA. Ele ficou mundialmente conhecido com a obra Faça a Coisa Certa (1989), sobre tensões raciais entre negros e italianos no Brooklyn. O filme foi indicado ao Oscar concorrendo à estatueta de melhor roteiro original e de melhor ator coadjuvante para Danny Aiello. O maior sucesso de bilheteria de Spike Lee foi O Plano Perfeito (2007), com Clive Owen e Jodie Foster. O cineasta também dirigiu as gravações do clipe de "They don´t care about us", de Micheal Jackson, gravado no morro Santa Marta, no Rio de Janeiro (RJ), e no Pelourinho, em Salvador (BA).

Go Brazil GO!
O documentário que será dirigido pelo cineasta americano deverá mostrar o "novo Brasil" e como o País "emergiu como nova superpotência", nas palavras do próprio Spike Lee. "É meu trabalho, como documentarista, encontrar histórias sobre o que aconteceu para fazer com que o Brasil seja essa superpotência", disse.

Até a Copa de 2014, ele deverá lançar o documentário Go Brazil GO!. Até lá, Spike Lee fará várias viagens curtas ao Brasil.

Entenda o julgamento
O STF analisa três ações que contestam a constitucionalidade da reserva de vagas em universidades públicas por meio das cotas raciais e o perfil do estudante apto a receber bolsas do Programa Universidade para Todos (Prouni). O julgamento é o primeiro comandado pelo ministro Ayres Britto, que foi assumiu a presidência da Corte na última semana

A sessão desta quarta-feira foi suspensa suspensa após o voto favorável às cotas raciais da Universidade de Brasília (UnB) pelo relator, ministro Ricardo Lewandowski. A ação contra a UnB foi ajuizada em 2009 pelo Democratas, que questiona a reserva de 20% das vagas na instituição a estudantes negros. Segundo o DEM, essa política fere o princípio constitucional da igualdade nas condições de acesso ao ensino superior. O programa foi instituído em 2004 e desde então atendeu mais de 5 mil alunos.

Outro tema polêmico que deve ser julgado pelos ministros é uma ação ajuizada pelo estudante Giovane Pasqualito Fialho, reprovado no vestibular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) para o curso de administração, embora tivesse alcançado pontuação superior à de outros candidatos. Os concorrentes que tiveram nota menor foram admitidos pelo sistema de reserva de vagas para alunos egressos das escolas públicas e negros.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade