0

Zona oeste tem os bairros mais populosos do Rio, diz IBGE

1 jul 2011
15h16

Entre os dez bairros mais populosos no município do Rio de Janeiro, sete são da zona oeste. O líder da relação é Campo Grande, com 328 mil moradores, seguido por Bangu (243 mil), Santa Cruz (217 mil) e Barra da Tijuca (136 mil). Os dados, divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), fazem parte do Banco de Dados Agregados (Sidra) do órgão, que tem como base o Censo 2010.

De acordo com Romualdo Rezende, chefe da unidade estadual do IBGE no Rio de Janeiro, esses números confirmam a tendência de expansão da cidade para a zona oeste. "A expansão para a zona oeste é clara, é o único vazio da cidade. O resto está muito concentrado", diz ele. "Tirando a área de revitalização da zona portuária (no centro), o Rio só tem a zona oeste para crescer. Quem passa pela Barra da Tijuca, hoje, nota que é praticamente um canteiro de obras."

Rezende destacou ainda que bairros próximos à Barra da Tijuca, que têm imóveis mais baratos, recebem atualmente boa parte da população que migra para a região. Entre eles estão Camorim, Vargem Pequena e Recreio dos Bandeirantes, cujas populações aumentaram mais de 100% na última década. Esse ritmo é bem superior ao de crescimento médio da cidade, de 7,9% ao ano nos últimos dez anos.

O aumento populacional da zona oeste, no entanto, não significa que a região está se desenvolvendo em ritmo semelhante. De acordo com Rezende, o crescimento desordenado faz surgir aglomerados populacionais em áreas carentes na região.

Idosos e crianças
Os dados do IBGE revelam ainda que Copacabana, na zona sul da cidade, se manteve como o bairro que concentra a maior população de idosos em relação ao número total de moradores: 23,2% têm mais de 65 anos. Mas o envelhecimento da população da zona sul também se reflete nos demais bairros, principalmente os da orla marítima: Flamengo (22,7%), Ipanema (21,7%) e Leblon (21,3%).

Na comparação com bairros de outras capitais do País, Copacabana só perde em população relativa de idosos para Moinho de Vento, em Porto Alegre (6,9%), e de Cidade Jardim, em Belo Horizonte (24,5%).

Por outro lado, os bairros cariocas com maior proporção de crianças até quatro anos em relação à população total são Gericinó (9,2%), na zona oeste, Acari (9%), Grumari (9%) e Manguinhos (8,6%), na zona norte, além das favelas da Mangueira (8,4%), também na zona norte, e da Rocinha (8,3%), na zona sul.

No portal do IBGE também é possível obter dados sobre os 14,4 mil bairros dos municípios brasileiros que contam com esse tipo de divisão territorial. O objetivo, segundo o instituto, é fornecer subsídios para políticas públicas de saúde, educação e planejamento urbano.

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade