0

Sobrevivente diz que vítimas não acreditaram no incêndio

28 jan 2013
14h30
atualizado às 14h38
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A fotógrafa Mariana Magalhães, 24 anos, é uma das sobreviventes do incêndio que atingiu uma casa noturna na cidade de Santa Maria, na noite de domingo, matando mais de 200 pessoas. Ela conta que viu o início do fogo e saiu correndo para fora, salvando cinco pessoas, apesar da maioria não ter dado bola para o incêndio que se iniciava. “Não sei se fico feliz por ter salvado a minha vida ou triste porque não sei nem por quem chorar”.

Está em Santa Maria? Envie fotos, vídeos e relatos da tragédia
Veja quem são as vítimas do incêndio em boate de Santa Maria

“Eu saí muito cedo. Acho que a maioria do pessoal estava bem embriagada e não deu muita importância, ‘imagina que vai pegar fogo em uma boate tão famosa’. Acho que o pessoal pensou, daqui a pouco apaga, é só um foco pequeno de incêndio”, disse a fotógrafa, confessando que fez um escândalo ao sair do local. 

Segundo a fotógrafa Mariana Magalhães, a maioria das vítimas não acreditou que o fogo fosse se espalhar
Segundo a fotógrafa Mariana Magalhães, a maioria das vítimas não acreditou que o fogo fosse se espalhar
Foto: Daniel Favero / Terra
 
“Não sei por que me desesperei tanto, até pensei na hora: devo estar fazendo fiasco, mas uma coisa me dizia: grita, corre”, contou.
 
Mariana diz que a boate Kiss passou por uma recente reforma, que sem a qual, mais pessoas poderiam ter morrido.  “Graças a deus teve essa reforma porque antes era uma escada que dificultaria bem mais a saída das pessoas que estavam lá, tinha um desnível, eram cinco degraus, mas no atropelo isso fazia muita diferença”, afirma.

 

INCÊNDIO EM SANTA MARIA

Entenda detalhes de como aconteceu a tragédia em Santa Maria, na região central do RS, que chocou o País e o mundo e como era a Boate Kiss por dentro

Incêndio na Boate Kiss
Um incêndio de grandes proporções deixou mais de 230 mortos na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade. O Corpo de Bombeiros acredita que o fogo iniciou com um sinalizador lançado por um integrante da banda que fazia show na festa universitária.

Segundo um segurança que trabalhava no local, muitas pessoas foram pisoteadas. "Na hora que o fogo começou foi um desespero para tentar sair pela única porta de entrada e saída da boate e muita gente foi pisoteada. Todos quiseram sair ao mesmo tempo e muita gente morreu tentando sair", contou. O local foi interditado e os corpos foram levados ao Centro Desportivo Municipal, onde centenas de pessoas se reuniam em busca de informações.

 
A prefeitura da cidade decretou luto oficial de 30 dias e anunciou a contratação imediata de psicólogos e psiquiatras para acompanhar as famílias das vítimas. A presidente Dilma Rousseff interrompeu viagem oficial que fazia ao Chile e foi até a cidade, onde se reuniu com o governador Tarso Genro e parentes dos mortos.
 
 

 

 

Veja também:

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) defende representatividade mínima de 30% de mulheres na direção dos partidos
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade