3 eventos ao vivo

RS: “me pisaram no pescoço, no peito e nas costas”, diz músico

28 jan 2013
15h28
atualizado às 15h44
  • separator
  • comentários

Após a prisão de dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, que se apresentava na boate Kiss,  em Santa Maria, no momento no qual começou o incêndio que deixou pelo menos 231 mortos na madrugada deste domingo, outros membros do grupo relataram o que aconteceu no palco no momento em que as chamas se espalharam. Em entrevista ao Jornal Hoje, da TV Globo, o baterista Heliel de Lima confirmou que os extintores não funcionaram antes de o fogo se propagar. "Deu aquele brilho em cima do palco, a gente olhou, começou aquela chama e começou o fogo ali. Um rapaz, não sei quem, alcançou o extintor para o vocalista, o vocalista tentou (apagar o fogo), mas o extintor não funcionou. Daí saltou o segurança, pegou o extintor, tentou também, mas não conseguiu e o fogo já foi se abrindo (...). Daí, todos os músicos foram dando jeito de sair do palco", disse

Sinalizadores da banda que tocava na festa seriam o motivo do incêndio na casa noturna.
Sinalizadores da banda que tocava na festa seriam o motivo do incêndio na casa noturna.
Foto: Facebook / Reprodução

[VC]Está em Santa Maria? Envie fotos, vídeos e relatos da tragédia
GALERIA DE FOTOS:Veja quem são as vítimas do incêndio em boate de Santa Maria

Segundo o guitarrista Rodrigo Martins, os músicos tiveram muita dificuldade para achar a saída, que não estava bem sinalizada. "Eu achava que ia morrer. Todos gritando ali na frente, não comparando, mas pareciam animais. Na hora que eu consegui sair, me pisaram no pescoço, no peito e nas costas, até estou machucado. Graças a Deus me puxaram, mas muita gente morreu pisada”, relatou. Durante o incêndio, o gaiteiro da banda Danilo Jaques, não conseguiu sair da casa de shows com vida.  Já Luciano Augusto Bonilha Leão e Marcelo de Jesus dos Santos, também integrantes da banda, foram presos na manhã desta segunda-feira.  O primeiro, segundo o Tribunal de Justiça, foi quem acionou o dispositivo do show pirotécnico à distância. O segundo é o vocalista, que estava com o sinalizador que teria provocado o incêndio. Os dois foram presos em Mata e encaminhados para a delegacia de Santa Maria.

 

INCÊNDIO EM SANTA MARIA

Entenda detalhes de como aconteceu a tragédia em Santa Maria, na região central do RS, que chocou o País e o mundo e como era a Boate Kiss por dentro
 

Incêndio na Boate Kiss
Um incêndio de grandes proporções deixou mais de 230 mortos na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade. O Corpo de Bombeiros acredita que o fogo iniciou com um sinalizador lançado por um integrante da banda que fazia show na festa universitária.

Segundo um segurança que trabalhava no local, muitas pessoas foram pisoteadas. "Na hora que o fogo começou foi um desespero para tentar sair pela única porta de entrada e saída da boate e muita gente foi pisoteada. Todos quiseram sair ao mesmo tempo e muita gente morreu tentando sair", contou. O local foi interditado e os corpos foram levados ao Centro Desportivo Municipal, onde centenas de pessoas se reuniam em busca de informações.

A prefeitura da cidade decretou luto oficial de 30 dias e anunciou a contratação imediata de psicólogos e psiquiatras para acompanhar as famílias das vítimas. A presidente Dilma Rousseff interrompeu viagem oficial que fazia ao Chile e foi até a cidade, onde se reuniu com o governador Tarso Genro e parentes dos mortos.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade