0

RS: maioria dos internados após incêndio foi intoxicada, diz ministro

27 jan 2013
17h13
atualizado às 17h46
  • separator
  • 0
  • comentários

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou neste domingo que a maioria dos 92 pacientes internados após o incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria, foi intoxicada, e não vítimas de queimaduras graves. Os casos mais complexos de queimados – 14 pessoas -  foram transferidos para Porto Alegre, onde foi montada uma estrutura para atender esse tipo de pacientes.

Está em Santa Maria? Envie fotos, vídeos e relatos da tragédia
Incêndio em boate deixa 232 mortos em Santa Maria

“A maior parte dos pacientes são vítimas do que chamamos de intoxicação respiratória, a minoria dos pacientes é o que chamamos de grande queimados. Isso é importante dizer porque a gente recebeu ajuda da parte de queimados, mas a grande maioria é intoxicação respiratória de pacientes que inalaram a fumaça. Já transferimos 14 pacientes para Porto Alegre onde foi montada uma estrutura de referência para pacientes que precisam de um suporte maior. São pacientes com características de grandes queimados”, disse Padilha, em entrevista coletiva no Centro Desportivo Municipal, onde os familiares das vítimas reconhecem o corpo dos mortos.

Dos intoxicados que sobreviveram à tragédia, cerca de 30 respiram com ajuda de aparelhos. O ministro também afirmou que é possível que pessoas que inalaram a fumaça e estão em casa possam apresentar sintomas depois de alguns dias. Em situações como essa, quando pessoas inalam fumaça, é muito comum pessoas não sentirem um quadro muito grave, são rapidamente atendidas e estabilizadas, mas que podem evoluir nos próximos dias. Uma coisa que chamamos de pneumonia química”, explicou.

Para atender casos como esse, o governo montou duas unidades de pronto atendimento em Santa Maria. Também foi criada uma estrutura para deslocamento aéreo de feridos para Porto Alegre. “Precisamos tentar salvar vidas que ainda podemos salvar”, disse o ministro.

O Ministério da Saúde enviou para Santa Maria a Força Nacional do SUS, que atuou em outras tragédias, como no terremoto do Haiti e na tragédia da região serrana do Rio de Janeiro.

Incêndio em casa noturna
Um incêndio de grandes proporções deixou ao menos 232 mortos na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade. O Corpo de Bombeiros acredita que o fogo iniciou com um sinalizador lançado por um integrante da banda que fazia show na festa universitária.

Segundo um segurança que trabalhava no local, muitas pessoas foram pisoteadas. "Na hora que o fogo começou foi um desespero para tentar sair pela única porta de entrada e saída da boate e muita gente foi pisoteada. Todos quiseram sair ao mesmo tempo e muita gente morreu tentando sair", contou. O local foi interditado e os corpos foram levados ao Centro Desportivo Municipal, onde centenas de pessoas se reuniam em busca de informações.

A prefeitura da cidade decretou luto oficial de 30 dias e anunciou a contratação imediata de psicólogos e psiquiatras para acompanhar as famílias das vítimas. A presidente Dilma Rousseff interrompeu viagem oficial que fazia ao Chile para seguir a Santa Maria.

 
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade