0

RS: Defesa cadastra voluntários da saúde para atender vítimas

27 jan 2013
16h18
atualizado às 18h21
  • separator
  • 0
  • comentários

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul está fazendo o cadastro de voluntários para ajudar no atendimento aos feridos e aos familiares das vítimas do incêndio em uma boate em  Santa Maria, onde 233 pessoas morreram na madrugada deste domingo. Profissionais da área da saúde estão sendo cadastrados pelo telefone (51) 3210-4219.

Está em Santa Maria? Envie fotos, vídeos e relatos da tragédia

Os voluntários serão deslocados para prestar atendimento na Sala de Crise montada no Centro Desportivo Municipal (CDM) de Santa Maria ou nas unidades regionais de Defesa Civil de Uruguaiana, Livramento e do próprio município. A empresa Planalto disponibilizou em Porto Alegre ônibus extra, para que médicos e profissionais de saúde voluntários cadastrados pela Defesa Civil possam ir até Santa Maria. São solicitados ainda água, luvas, papel higiênico, álcool gel, máscaras e medicamentos, que podem ser encaminhados também por ônibus.

Doação de sangue
O Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre e o Hemocentro, que está recebendo vítimas com queimaduras graves de Santa Maria, ressalta que a doação de sangue deverá ser realizada durante a semana, e que o estoque é suficiente para o atendimento imediato aos feridos. Para os que estão em Santa Maria, é possível a doação de sangue no Hemocentro do município, localizado na Alameda Santiago do Chile, 35, bairro Nossa Senhora das Dores.

 

Incêndio em casa noturna
Um incêndio de grandes proporções deixou mais de 230 mortos na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade. O Corpo de Bombeiros acredita que o fogo iniciou com um sinalizador lançado por um integrante da banda que fazia show na festa universitária.
 
Segundo um segurança que trabalhava no local, muitas pessoas foram pisoteadas. "Na hora que o fogo começou foi um desespero para tentar sair pela única porta de entrada e saída da boate e muita gente foi pisoteada. Todos quiseram sair ao mesmo tempo e muita gente morreu tentando sair", contou. O local foi interditado e os corpos foram levados ao Centro Desportivo Municipal, onde centenas de pessoas se reuniam em busca de informações.
 
A prefeitura da cidade decretou luto oficial de 30 dias e anunciou a contratação imediata de psicólogos e psiquiatras para acompanhar as famílias das vítimas. A presidente Dilma Rousseff interrompeu viagem oficial que fazia ao Chile e foi até a cidade, onde se reuniu com o governador Tarso Genro e parentes dos mortos.
 
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade