0

RS: começa perícia na Boate Kiss em Santa Maria

28 jan 2013
08h29
atualizado às 08h55
  • separator
  • 0
  • comentários

O Instituto Geral de Perícias (IGP) do Rio Grande do Sul iniciou na manhã desta segunda-feira a perícia na Boate Kiss, em Santa Maria, onde um incêndio matou mais de 230 pessoas na madrugada de domingo. Os trabalhos começaram por volta das 8h e são coordenados por um perito de Porto Alegre.

Veja a cronologia do incêndio na Boate Kiss em Santa Maria
Veja quem são as vítimas do incêndio em boate de Santa Maria
Está em Santa Maria? Envie fotos, vídeos e relatos da tragédia

Segundo a Polícia Civil do Estado, a perícia vai determinar como a tragédia aconteceu e apontar possíveis responsáveis. Os investigadores também pretendem apurar se o local estava regular, se a capacidade foi extrapolada e se havia mesmo apenas uma saída de emergência na boate.

Ontem, o delegado titular da 3ª DP, Sandro Meinerz, afirmou que era cedo para pedir a prisão preventiva dos proprietários do estabelecimento. "Antes de tomar uma medida nesse sentido, precisamos ter uma compreensão exata do que aconteceu, quem agiu com culpa. Até onde sabemos, o incêndio começou após um processo pirotécnico de alguém da banda", disse.

Incêndio na Boate Kiss 
Um incêndio de grandes proporções deixou mais de 230 mortos na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade. O Corpo de Bombeiros acredita que o fogo iniciou com um sinalizador lançado por um integrante da banda que fazia show na festa universitária. 

Segundo um segurança que trabalhava no local, muitas pessoas foram pisoteadas. "Na hora que o fogo começou foi um desespero para tentar sair pela única porta de entrada e saída da boate e muita gente foi pisoteada. Todos quiseram sair ao mesmo tempo e muita gente morreu tentando sair", contou. O local foi interditado e os corpos foram levados ao Centro Desportivo Municipal, onde centenas de pessoas se reuniam em busca de informações.

A prefeitura da cidade decretou luto oficial de 30 dias e anunciou a contratação imediata de psicólogos e psiquiatras para acompanhar as famílias das vítimas. A presidente Dilma Rousseff interrompeu viagem oficial que fazia ao Chile e foi até a cidade, onde se reuniu com o governador Tarso Genro e parentes dos mortos.

 

 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade