0

SP: Parada Gay tem tema católico, mas nega provocação

6 jun 2011
15h26
Simone Sartori
Direto de São Paulo

A 15ª Parada do Orgulho Gay de São Paulo, considerada a maior do mundo, terá como foco em 2011 o combate à homofobia. Com o tema "Amai-vos uns aos outros: basta de homofobia!", a Associação da Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) divulgou, em reunião realizada nesta segunda-feira, no Sindicato dos Bancários, o calendário de atividades para o evento deste ano e deu início ao 15º mês do Orgulho LGBT. A associação negou que a frase-tema seja uma provocação religiosa, e que o caráter do evento tende para o político.

A parada será realizada no próximo dia 26, a partir das 12h, na avenida Paulista. A expectativa de público segue a média dos últimos anos - cerca de 3 milhões e 100 mil pessoas, segundo dados da SPTuris de 2010.

"Não queremos fazer um discurso autofágico, voltado para o próprio umbigo, mas para toda a sociedade brasileira. O País está sendo vítima de um sistema fundado numa moral religiosa, mas este é um recado direto para toda a sociedade brasileira. Usamos a frase como tema - "amai-vos uns aos outros" para descontextualiza-la (do sentido cristão). O grande princípio para essa frase também surge porque nossos agressores mudaram. Estamos sendo agredidos também pela classe média", disse o presidente da associação, Ideraldo Beltrame (citando o caso do rapaz que agrediu outro jovem com uma lâmpada fluorescente na avenida Paulista no ano passado).

Polícia Militar aumenta efetivo
Este ano, a Polícia Militar aumentará o efetivo de 800 para 1,5 mil policiais militares envolvidos na parada. "Esse aumento do efetivo não implica redução de atendimento de chamadas para o 190", afirmou o tenente coronel da Polícia Militar Renato Cerqueira Campos, do comandante do policiamento da região central de São Paulo.

"Além do aumento do efetivo, pedimos que as pessoas informem eventuais ameaças e evitem comportamentos que possam sujeitá-los a eventuais atentados, como não andar sozinhos e por locais ermos. Qualquer situação que percebam, liguem para o 190 ou procurem um posto da PM. Também pedimos que não levem objetos de valor ou quaisquer coisas que atraiam a atenção de malfeitores. A expectativa é que seja um movimento muito tranquilo, como nos anos anteriores", disse o tenente coronel.

Carta aberta
Uma carta aberta à população também foi lida durante a apresentação. O texto citou os 260 gays e lésbicas mortos em 2010 e afirmou que no Brasil "se mata mais homossexuais do que em países islâmicos". A associação criticou ainda o recrudescimento dos setores conservadores.

"Antes nossos algozes agiam na calada da noite, nos violentando em becos à surdina, como se, nos atingindo individualmente, pudessem nos exterminar pelas beiradas. Hoje, saem às ruas, fazem abaixo-assinados, manifestam-se na avenida Paulista e marcham sobre a Esplanada dos Ministérios para barrar a garantia de nossa dignidade", disse o texto.

De acordo com Beltrame, a carta aberta é direcionada a toda a sociedade e, segundo ele, "para deixar bem claro a exigência de um Estado laico, democrático e moderno, que busca entender que todas as pessoas são iguais".

A parada também defenderá a aprovação do Projeto de Lei da Câmara (PLC), que criminaliza a "discriminação ou preconceito de origem, condição de pessoa idosa ou com deficiência, gênero, sexo, orientação sexual ou identidade de gênero". Segundo a associação, durante o evento, serão colhidas assinaturas pedindo a aprovação do PLC. A presidente Dilma Rousseff foi convidada para participar da parada, bem "todos os parlamentares" do Congresso, disse Beltrame.

A cantora Preta Gil deve estar no carro oficial para fazer a abertura política do evento, além da programação de um show ao final do evento. A cantora Wanessa deve ser a atração, mas ainda não foi confirmada.

Para a comemoração dos 15 anos da parada em São Paulo, a associação programou ainda uma "grande valsa" ao ar livre. Representantes do Guiness foram convidados para registrar o número de casais dançando a valsa.

Programação da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOGLBT):
- 9º Ciclo de Debates: de 6 de junho a 6 de julho, diversos locais e horários;
-11ª Feira Cultural LGBT: 23 de junho, das 10h às 22h, no Vale do Anhangabaú;
- 11º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade: 24 de junho, às 20h, na Academia Paulista de Letras (Largo do Arouche, nº 312/324);
- 11º Gay Day - Experience: 25 de junho, das 10h às 22h, no Playcenter (rua José Gomes Falcão, nº 20, Barra Funda);
- 15ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 26 de junho, a partir das 12h, na avenida Paulista e rua da Consolação, com concentração em frente ao Masp).

Mais informações podem ser obtidas pelo site: http://www.paradasp.org.br/

Tema da Parada Gay será "amai-vos uns aos outros: basta de homofobia!"
Tema da Parada Gay será "amai-vos uns aos outros: basta de homofobia!"
Foto: Simone Sartori / Terra
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade