0

SP: manifestantes farão reunião com governo sobre aumento nas passagens

Organizado pelo Ministério Público, encontro terá a presença do secretário municipal de Transportes

11 jun 2013
19h58
atualizado às 20h50
  • separator
  • comentários

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) convidou organizações civis contrárias ao aumento da tarifa do transporte público em São Paulo para reunião uma reunião nesta quarta-feira. O Secretário Municipal de Transportes da capital paulista, Jilmar Tatto, confirmou presença no encontro, que contará ainda com representantes da Secretaria Estadual de Transportes, além do MP.

Veja o quanto se paga em tarifas de ônibus nas capitais brasileiras
Veja o crescimento do valor do ônibus e metrô entre 1994 e 2013

Hoje, o Movimento Passe Livre protocolou na prefeitura de São Paulo um pedido de reunião com a prefeita em exercício, Nádia Campeão (PCdoB), solicitando a revogação do aumento. Em nota, o movimento afirmou que não aceitará “qualquer proposta que não atenda a reivindicação da população nas ruas” e que “enquanto a tarifa não cair, a luta continua”.

Os movimentos pedem passe livre para os estudantes secundaristas e universitários nos ônibus da capital paulista e melhores condições para o transporte público na cidade.

Nesta terça-feira, os manifestante se reuniram na praça do Ciclista, no cruzamento da avenida Paulista com a rua da Consolação, às 17h, e realizaram passeata pelas ruas do centro.

Os policiais não permitiram que os manifestantes descessem a avenida Vinte e Três de Maio, e o protesto seguiu pela avenida Liberdade sentido praça da Sé. A PM tentou fazer com que o protesto parasse na praça, mas os manifestantes se recusaram e seguiram pela avenida Rangel Pestana, no centro, próximo ao terminal Bandeira. Em seguida, pararam em frente ao terminal Dom Pedro de ônibus. A Força Tática da Polícia Militar foi acionada.

Houve focos de tumulto na ligação Leste-Oeste, uma das vias mais importantes da capital paulista. Alguns manifestantes chegaram a colocar fogo em um pneu, mas, por enquanto, não houve registros de que a polícia tenha utilizado balas de borracha ou bombas de gás lacrimogêneo para conter o protesto. A PM ainda não tem dados sobre o número de detidos ou possíveis feridos.

O Movimento Passe Livre promete nova manifestação nesta quinta-feira. O protesto está agendado para as 17h, em frente ao Teatro Municipal, no Vale do Anhangabaú, centro da cidade.

Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade