1 evento ao vivo

SP: casal morre ao tentar se proteger de frio com aquecedor improvisado

25 jul 2013
14h22
atualizado às 14h34
  • separator
  • 0
  • comentários

Um casal morreu ao tentar improvisar um aquecedor de carvão dentro do quarto de dormir na noite de quarta-feira em Guararapes, interior de São Paulo. O motorista Sérgio José de Oliveira, 63 anos, e a mulher, Maria Izabel Macedo de Oliveira, 61 anos, usaram uma lata de tinta vazia, colocaram carvão dentro e atearam fogo para aquecer o quarto da casa onde moravam, no bairro Copacabana.

Saiba como se calcula a sensação térmica
Confira a previsão do tempo na sua cidade

Na manhã desta quinta-feira, os dois foram encontrados mortos pela filha deles, informou o sargento Marcos Donizete Thobias, da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência. Segundo ele, a filha, de 35 anos, acordou e estranhou que os pais ainda estivessem dormindo. Chamou por eles várias vezes e só ouvia o barulho da TV, que estava ligada. Como ninguém a atendeu, ela entrou em desespero e chamou um vizinho, que arrombou a porta do quarto. Ao entrar, a mulher viu o pai deitado na cama e a mãe, caída no chão, de bruços. Num dos cantos do quarto, havia a lata, ainda com brasa do carvão acesa.

Técnicos do Instituto de Criminalística fizeram perícia do local e constataram que o casal morreu por asfixia causada pela intoxicação por monóxido de carbono. Segundo Thobias, a suspeita é de que o casal tenha inalado a fumaça exalada pelo carvão durante a noite toda, pois não havia nenhuma saída para a fumaça do quarto. Outra suspeita é de que Maria Izabel tenha se levantado para pedir socorro ou tentar abrir a porta, mas não resistiu e acabou caindo no chão. No entanto, os resultados dos exames que confirmarão a causa das mortes só devem sair em 15 dias. 

 

O monóxido de carbono é um gás resultante da combustão incompleta de combustíveis sólidos (carvão), líquidos (gasolina) e gasosos (gás natural), e pode ser muito perigoso. À medida que o carvão queima, a concentração do gás tóxico aumenta no ar e, se não houver saída para ele, pode ser fatal se inalado por muito tempo. Segundo a polícia, pelo estado dos corpos, o casal pode ter morrido entre a noite de quarta-feira e madrugada desta quinta. A PM está alertando a população da cidade para não improvisar qualquer tipo de aquecedor para combater o frio. “A melhor maneira continua sendo o agasalho e o cobertor”, dizem os PMs.

Colaborou com esta notícia o internauta Alexandre Ataide, de Guararapes (SP), que participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Fonte: Especial para Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade