0

Situação em Nova Friburgo é pior do que em Angra, diz Pezão

12 jan 2011
09h34
atualizado às 11h54

Para o vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, a situação em Nova Friburgo "é pior do que o registrado em Angra dos Reis, no ano passado". Segundo a assessoria de imprensa do governo, o vice-governador deixou a capital fluminense na manhã desta quarta-feira para sobrevoar os municípios da região serrana do Estado atingidos por fortes temporais desde ontem.

Em Nova Friburgo, o vice-governador tem um reunião com o prefeito em exercício, Demerval Neto, para definir as medidas que serão tomadas em apoio à cidade. Pezão mobilizou todos os helicópteros do governo do Estado com o objetivo de transportar equipes da Defesa Civil estadual e equipamentos para reforçar os trabalhos na região."É muito triste o quadro, a gente ainda não conseguiu resgatar os bombeiros, é desesperador", disse Pezão sobre os bombeiros soterrados em Nova Friburgo.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Friburgo, coronel Roberto Robadey, três bombeiros estão soterrados. Eles foram atingidos por um desmoronamento enquanto faziam uma operação de resgate no centro da cidade. Equipes da corporação seguiram para o local para socorrê-los. "Eles estavam resgatando três pessoas que estavam soterradas, o deslizamento aumentou, como estava escuro ainda eles não viram e acabaram sendo atingidos", disse.

Segundo o coordenador, 6 mil pessoas vivem em área de risco no município, mas muitas delas conseguiram encontrar locais seguros antes dos desabamentos porque a Defesa Civil emitiu um alerta às 11h de terça-feira.

A situação na cidade ainda é bastante complicada, segundo o coronel, e em muitos pontos o acesso só é possível por meio de helicóptero. Ele afirmou, no entanto, que os maiores problemas neste momento se concentram no centro da cidade, mas como não chove na região há algumas horas, o nível do Rio Bengalas, que subiu 50 m acima do leito e inundou várias vias, já baixou. "Com certeza esta é a pior tragédia da história de Nova Friburgo e da região serrana. Acredito que tão cedo a cidade não vai se recuperar deste evento", concluiu o coronel.

Fonte: Redação Terra
publicidade