PUBLICIDADE

SC: crianças trabalham como voluntárias em centro de donativos

11 set 2011 - 07h46
(atualizado às 08h26)
Compartilhar
Fabrício Escandiuzzi
Direto de Santa Catarina

Crianças com idades entre 11 e 16 anos estão trabalhando como voluntárias neste domingo no centro de triagem de donativos montado em um pavilhão de eventos de Itajaí, uma das cidades mais afetadas pela enchente em Santa Catarina. O grupo de escoteiros Lauro Muller, formado por 80 crianças, teve a maior parte de seus integrantes afetados pelas cheias dos rios Itajaí-Açu e Itajaí-Mirim desde a noite da última quinta-feira.

Como forma de contribuir, oito crianças com idades entre 10 e 16 anos permaneceram por mais de dez horas no pavilhão, ajudando a carregar pacotes de cestas básicas que devem ser levados por caminhões às cidades do Vale do Itajaí. Os garotos mais velhos ajudavam a colocar os donativos em carrinhos para o transporte, enquanto as crianças menores trabalhavam na sepação de roupas e produtos de higiene que seriam transportados aos bairros de Itajaí e às cidades de Ilhota, Blumenau e Rio do Sul.

A coordenadora do grupo de escoteiros, Marilene Dalmagro, explicou que mais de 70 crianças da associação estão entre as vítimas da enchente. "Nosso lema é estar sempre alerta e por isso eles estão auxiliando nos abrigos para os quais as famílias foram transferidas", disse. "Além de ajudar, para os escoteiros, mesmo tão jovens, é uma forma de aliviar o drama de mais um enchente e incutir o valor da solidariedade".

O centro de donativos foi montado no mesmo parque de exposições de 2008. Toneladas de alimentos, roupas, colchões e rações para animais já foram levadas ao local pela comunidade catarinense. Houve até quem viajou mais de 100 km para entregar pessoalmente sua doação.

O empresário Paulo Victor Cunha, morador de Palhoça, chegou ao centro de donativos no início da madrugada para deixar roupas, galões de água, colchões e 20 quilos de ração para cachorro. "Acho que vou ficar por aqui para ajudar as pessoas no domingo", disse. "Não dá para ficar sentado assistindo futebol com tanta gente precisando de ajuda".

Grupo teve a maior parte de seus integrantes afetada pelas cheias dos rios Itajaí-Açu e Itajaí-Mirim
Grupo teve a maior parte de seus integrantes afetada pelas cheias dos rios Itajaí-Açu e Itajaí-Mirim
Foto: Fabricio Escandiuzzi / Especial para Terra
Fonte: Especial para Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra