2 eventos ao vivo

RS: bombeiros da capital têm metade do nº necessário de caminhões

8 jul 2013
23h39
atualizado às 23h43
  • separator
  • comentários

Porto Alegre tem metade do número necessários de caminhões para o combate a incêndios, informou o Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Sul nesta segunda-feira. A capital gaúcha possui oito veículos, quando o ideal, segundo a corporação, seriam 20 caminhões novos. No último sábado, um incêndio no Mercado Público da cidade mostrou a situação delicada dos bombeiros. Hoje, o comando da corporação apresentou um relatório para a Secretaria de Segurança. “Nós apresentamos a necessidade da implantação dos quatro quartéis que não estão instalados ainda em Porto Alegre e da aquisição de mais 10 viaturas de combate a incêndio para a cidade, proporcionando a cada um dos quartéis dois veículos – um carro principal e um carro reserva, que hoje não existem. (No sábado), se tivéssemos duas ferramentas, duas escadas mecânicas na cena, posicionadas taticamente de forma adequada, talvez fôssemos mais bem sucedidos em não deixar queimar 10% do Mercado. Talvez queimasse 5% ou um pouco menos”, disse o major Rodrigo Dutra, do 1º Comando Regional dos Bombeiros. As informações são do RBS Notícias, da RBS TV.

<p>Mercado Público de Porto Alegre foi atingido por um incêndio no sábado</p>
Mercado Público de Porto Alegre foi atingido por um incêndio no sábado
Foto: Felipe Schroeder Franke / Terra

Vídeos registram incêndio no Mercado Público de Porto Alegre; veja

O governo do Estado informou que está estudando os pedidos. Para o engenheiro civil Telmo Brentano, a prevenção precisa ser tratada com mais seriedade. “O importante sempre é a continuidade do processo que se desenvolve a partir de uma brigada de incêndio que deve ser treinada regularmente”, disse. Para o especialista, a nova legislação estadual de combate a incêndio deve tornar obrigatório o uso de chuveiros automáticos . “Nesse caso do Mercado Público, como o fogo foi muito intenso, como as chamas foram muito violentas inicialmente, os chuveiros todos teriam funcionado adequadamente. Não é que o chuveiro vá apagar o fogo, mas ele vai diminuir a intensidade e evitar a propagação do fogo para o resto da edificação e para prédios vizinhos”, afirmou.

 

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade