Cidades

publicidade
23 de fevereiro de 2013 • 11h00

RJ: segurança na Linha Amarela é reforçada e evasão de pedágio cai

A concessionária Lamsa, que administra a Linha Amarela no Rio de Janeiro, registrou queda de 50% na evasão de pedágio da via, depois que policiais militares (PMs) passaram a trabalhar no local, por meio do convênio firmado com a Secretaria de Segurança, através do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis). Este é um dos efeitos do regime de serviço que proporciona um ganho extra a PMs, com todas as garantias proporcionadas pela corporação.

Atualmente, 27 policiais atuam na Linha Amarela, em dois turnos. Eles fiscalizam práticas ilegais como evasão de pedágio, não utilização do cinto de segurança, uso de celular ao volante e tráfego indevido na faixa da direita.

Segundo a coordenadora do Proeis, coronel Solange Vieira, a presença de PMs no local – solicitada pela concessionária – reduziu também as tentativas de roubo e os assaltos. Além disso, ajudou em ações da corporação, que conseguiu interceptar carros de bandidos em fuga. "O Proeis funciona como um prêmio. É uma espécie de gratificação a quem tem bom comportamento e não está respondendo a nenhum processo", disse a coordenadora.

Para participar, os policiais se inscrevem mensalmente e são escalados conforme seus plantões e horários nas unidades onde são lotados. Atuando há cinco meses na Linha Amarela, o soldado Anderson Lima, 30 anos, está tendo sua terceira experiência profissional proporcionada pelo Proeis: as demais foram na SuperVia e na Secretaria de Educação.

"Reservo o que ganho aqui para dar entrada na minha casa própria", contou o soldado, que trabalha na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Pavão, pelo 19º BPM (Copacabana).

 

JB Online JB Online