3 eventos ao vivo

RJ: professor pode pagar multa por protesto sobre barcas

1 mar 2012
09h33
atualizado às 10h49
Giuliander Carpes
Direto do Rio de Janeiro

A liminar que obriga o Psol a pagar R$ 5 milhões em caso de dano ao patrimônio das Barcas S.A. envolve também o nome de uma pessoa física. Henrique Campos Monnerat, professor de história da rede estadual, será responsabilizado na Justiça junto com o partido caso haja desordem no protesto que acontece na manhã desta quinta-feira na Estação Araribóia, em Niterói.

"É um absurdo. Estou sendo usado como bode expiatório", afirmou o manifestante, que postou um vídeo na internet contra o aumento dos serviços. "Eu ganho R$ 750 por mês e uso as barcas todo dia. Como o governador acha que vou poder pagar R$ 4,50 pelo serviço?", questionou.

Henrique foi intimado a depor na 76ª. Delegacia de Polícia e está sendo acusado de apologia ao crime. "É uma tentativa clara de intimidação dos movimentos sociais", classificou.

Durante todo o protesto, os líderes da manifestação tentaram conter os manifestantes mais exaltados. Como forma de precaução, pediram para ninguém entrar na estação. Todos ficaram reunidos apenas em frente ao local.

Os manifestantes consideraram o adiamento do aumento - que deveria ter entrado em vigor nesta quinta-feira, mas ficou para sábado - como a primeira vitória do protesto.

A manifestação de hoje de manhã ocorreu na praça Araribóia, em Niterói, e foi comandada pela presidente estadual do Psol e deputada estadual Janira Rocha, que se mantém postura contra o aumento após votação na Assembleia Legislativa do Rio. "A população vem sofrendo com as barcas. Ocorreram vários acidentes recentemente e o serviço é ruim", reclamou.

O professor Henrique Campos está sendo acusado de apologia ao crime por vídeo na internet
O professor Henrique Campos está sendo acusado de apologia ao crime por vídeo na internet
Foto: Giuliander Carpes / Terra
Fonte: Terra
publicidade