0

RJ: governador prorroga concessão da SuperVia por mais 25 anos

30 nov 2010
20h23
atualizado às 22h17
  • separator

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, prorrogou a concessão da SuperVia, concessionária que administra os trens, para controlar o serviço ferroviário do Estado do Rio por mais 25 anos. O decreto saiu nesta terça-feira no Diário Oficial do Executivo. Entre as principais alegações do governador para adotar a medida, está a necessidade de investimentos no sistema ferroviário.

A SuperVia, de acordo com o decreto, vai investir aproximadamente R$ 1,2 bilhão para ampliar e melhorar o serviço. A prorrogação vale a partir de 31 de outubro de 2023, quando venceria o atual contrato de concessão da concessionária.

Passageiros a pé
Neste mês, milhares de passageiros que usam o ramal de trem de Saracuruna - transitam cerca de 70 mil pessoas ao dia - ficaram a pé após uma composição que seguia para a Central do Brasil sofrer pane no pantógrafo (equipamento que fica em cima do trem para captar a energia que o movimenta). Com isso, 10 estações da SuperVia - Saracuruna, Jardim Primavera, Campos Elíseos, Gramacho e Caxias, na Baixada, além de Vigário Geral, Parada de Lucas, Cordovil, Brás de Pina e Penha Circular, no Rio - não funcionaram no período da manhã.

Multas
A Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários, Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio (Agetransp) instaurou processo para apurar as causas da paralisação. Fiscais foram ao local da pane para inspeção. De acordo com a Agetransp, a SuperVia já foi alvo, até agora, de 23 processos referentes a incidentes. Foram cinco multas ao longo deste ano, o que totaliza R$ 1.403.679,77.

"No entanto, alguns destes processos foram objetos de recursos que ainda estão sendo julgados", informou a agência em nota. As multas terão valor atualizado. No último dia 8, um trem do ramal de Santa Cruz descarrilou entre a Praça da Bandeira e a Central.

Veja também:

Por apoio à CPMF, Guedes vai propor cortar à metade tributos sobre salários
Fonte: O Dia
publicidade