0

RJ: chuva forte deixa Nova Friburgo em alerta

16 jan 2011
15h54
atualizado às 19h26

Voltou a chover forte em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio de Janeiro, na tarde deste domingo, 16. Uma barreira caiu na RJ-130, estrada que liga a cidade a Teresópolis, deixando a rodovia em mão única na altura de Córrego Dantas, em Friburgo. A Defesa Civil municipal está pedindo através de comunicados nas rádios e TVs locais para que as pessoas fiquem em áreas seguras e não saiam. Os locais recomendados são o centro da cidade, o bairro de Olaria e os abrigos.

Entulho e lama se acumulam nas ruas de Nova Friburgo
Entulho e lama se acumulam nas ruas de Nova Friburgo
Foto: Antonio Varella / vc repórter

Ainda pode chover forte na Região Serrana do Rio de Janeiro, pelo menos até quarta-feira. Segundo a Climatempo, a formação de nuvens carregadas pode levar mais chuva aos municípios atingidos pelo temporal da semana passada. De acordo com a agência, como a terra está encharcada e os rios estão com níveis elevados, o risco de novos desmoronamentos e transbordamentos permanece elevado nas próximas 48 horas.

O governo federal divulgou neste domingo um balanço das ações realizadas na Região Serrana. De acordo com a Secretaria de Comunicação Social (Secom), 586 militares estão na região Serrana auxiliando no socorro às vítimas.

O Ministério da Defesa deslocou também para o local 12 helicópteros, 74 viaturas, três ambulâncias e duas retroescavadeiras. As Forças Armadas montam ainda um hospital de campanha e disponibilizaram um gerador e uma torre de iluminação para os municípios atingidos.

O Ministério da Saúde enviou à região atingida sete toneladas de medicamentos e insumos, além dos 50 funcionários de hospitais federais no Rio que atuam nos municípios atingidos como voluntários.

A Integração Nacional disponibilizou 4 mil barracas de lona para as vítimas, enquanto o Ministério do Desenvolvimento Social encaminhou 8 mil cestas de alimento de alimento para os municípios de Teresópolis, Petrópolis, Nova Friburgo e Areal. Segundo o balanço, há ainda um reforço da Força Nacional de Segurança, que enviou 80 bombeiros, 130 policiais e 15 peritos para a região atingida.

Cabral decreta estado de calamidade pública em sete cidades
O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, decretou estado de calamidade pública nos municípios de Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Bom Jardim, São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro e Areal.

A decisão do governador visa a dar maior agilidade na contratação de serviços, aquisição de materiais e execução de obras nas áreas atingidas pelas fortes chuvas. O decreto de estado de calamidade pública permite dispensa de licitação para reabilitação das cidades mencionadas e destruídas.

Região Serrana enfrenta a pior catástrofe de sua história
Castigada por um temporal que fez chover em 24 horas mais do que era esperado para todo o mês, a Região Serrana do Rio enfrenta desde a noite da terça-feira, 11 de janeiro, a pior catástrofe natural do Brasil. Com o número de mortos, desabrigados, desalojados, feridos e desaparecidos, a tragédia já superou o registrado em janeiro do ano passado, em Angra dos Reis e, em abril, na capital e Niterói.

Localidades inteiras foram soterradas por lama no município de Teresópolis. No bairro Caleme, uma represa da Cedae transbordou por causa da tromba d'água, provocando o deslizamento de encostas sobre casas e carros. Em Nova Friburgo, três bombeiros que seguiam para resgatar vítimas quando o carro onde estavam foi soterrado por uma avalanche.

Petrópolis também sofreu devastação em diferentes pontos. O Distrito de Itaipava foi o mais atingido. O soterramento de uma casa na localidade Vale do Cuiabá matou 12 pessoas de uma mesma família. Corpos foram recolhidos por moradores e depositados às margens de um rio à espera de resgate. Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto, também cidades da região, também contabilizam mortos.

Chuvas na região serrana
As fortes chuvas que atingiram os municípios da região serrana do Rio nos dias 11 e 12 de janeiro provocaram enchentes e inúmeros deslizamentos de terra. As cidades mais atingidas são Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu cerca de 300 mm em 24 horas na região.

O Dia

Colaboraram com esta notícia os internautas Antonio Varella e Vinícius P.Eyer, de Nova Friburgo (RJ), que participaram do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Veja a Praça do Suspiro, em Nova Friburgo, antes e depois da chuva

Veja onde foram registradas as mortes

vc repórter
publicidade