0

RJ: ato público em Niterói pedirá criação da CPI dos Desabrigados

20 ago 2013
15h48
  • separator
  • comentários

Dezenas de jovens que ocupam a Câmara Municipal de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, há quase duas semanas, farão no fim da tarde desta terça-feira um ato público no local para pedir a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Desabrigados. A CPI foi proposta pelo vereador Henrique Vieira (Psol) em março, três anos depois da tragédia no Morro do Bumba, para apurar as denúncias de desvios de verbas públicas e de irregularidades no atendimento às vítimas dos desastres ocorridos por causa da chuva em 2010. Niterói foi um dos municípios mais afetados pelas chuvas de março e abril de 2010, com mais de 140 mortos.

Um dos participantes da ocupação, o professor Edson Amaro, que dá aulas de português da rede estadual, disse que espera pressionar os parlamentares a criarem a CPI. "Estamos nos revezando aqui desde 8 de agosto para pressionar os vereadores", disse. Para que a CPI seja instaurada, é preciso recolher assinaturas de sete vereadores, de um total de 23. Falta apenas uma assinatura.

"Aquelas pessoas que perderam suas casas e suas famílias estão até hoje alojadas no antigo quartel de São Gonçalo, em péssimo estado. Convivem com esgoto a céu aberto, infiltrações. Queremos apurar responsabilidades e queremos soluções para essas famílias", disse Amaro.

Os manifestantes têm outras pautas, como melhores salários para os professores, atualmente em estado de greve, e mais investimento na educação. Eles informaram que vão permanecer na câmara até que suas demandas sejam atendidas.

Em nota divulgada na semana passada no site da Câmara, a Mesa Diretora repudiou a ocupação do plenário. Segundo a nota, o ato prejudica os trabalhos na Casa. "A longa e extensa pauta de reivindicações dos manifestantes, com 34 itens, pouco pode ser absorvida pela Câmara de Vereadores. Das (reivindicações) que podem, todas estão em discussão pela Casa dentro do processo legislativo", destaca o comunicado.

Agência Brasil Agência Brasil

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade