publicidade
29 de outubro de 2013 • 13h42 • atualizado às 14h31

Rio promete entregar mais seis praias despoluídas até 2016

Secretario de Meio Ambiente promete entregar Paquetá, Guanabara, Pepê, Flamengo, Botafogo e Copacabana limpas para os Jogos Olímpicos

Copacabana é uma das praias que deve ser beneficiada por projeto de despoluição
Foto: Fernando Maia/Divulgação Riotur
  • Marcus Vinicius Pinto
    Direto do Rio de Janeiro
 

Até os Jogos Olímpicos de 2016, o carioca pode ganhar mais seis praias para aproveitar. Quem garante é o secretario de Meio Ambiente do Estado, Carlos Minc, que apresentou na manhã desta terça-feira a segunda fase do projeto Sena Limpa, que promete deixar Copacabana, Flamengo, Botafogo, Praia da Guanabara, Pepê/Joatinga e as praias da Ilha de Paquetá com mais de 90% de balneabilidade durante o ano. "Praia limpa é o que mais motiva o carioca. É mais lazer, mais saúde, mais turismo e mais empregos verdes. É mergulhar sem ter que fechar a boca por causa dos coliformes fecais", disse Minc, ao lado do presidente da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), Wagner Victer, parceiro do evento.

Apresentado antes mesmo da conclusão da primeira fase do programa, o Sena Limpa 2 tem previsão orçamentária direta de cerca de R$ 200 milhões e envolve nove secretarias e órgãos diferentes do Estado e do município do Rio. "Ipanema, por exemplo, já melhorou mais de 60%. Praia Vermelha 90%, Leme 50% e, com esses resultados, decidimos lançar logo a segunda parte do projeto", disse Minc. A primeira parte do projeto envolve ainda as praias de São Conrado, Leblon, Leme e da Bica, na Ilha do Governador, e tem previsão de ser finalizada antes do fim de 2014. "O mais importante é que, das seis praias escolhidas, quatro estão na Baía da Guanabara" disse Minc, se referindo ao projeto de limpeza da baía para os Jogos Olímpicos de 2016.

A primeira entrega prevista para o Sena Limpa 2 é da ilha de Paquetá, que no passado era a praia de preferência da família real, mas que andou abandonada pela poluição das suas praias. "O prazo de 2016 é desafiador, não por conta das Olimpíadas, mas por podermos entregar praias melhores para a população", disse Wagner Victer, confirmando que várias obras ainda estão em fase de estudos. Carlos Minc confirmou que o projeto que leva o esgoto de Paquetá por tubulação submarina até São Gonçalo já está em andamento. Mas, para Victer, os maiores desafios são Flamengo e Botafogo. "Foram praias muito frequentadas no passado e que foram sendo abandonadas. Temos desafios enormes de engenharia, porque são locais que têm influência de três descargas de esgoto e que temos que solucionar", disse Victer.

Para Carlos Minc, além das obras em tubulações, dutos e saneamento, é fundamental que a população colabore. "Se todo mundo jogar lixo na areia e se todo comerciante jogar esgoto na rede pluvial, haja esforço por nossa parte", disse. Além das obras previstas no Sena Limpa 2, a prefeitura do Rio tem um papel importante na construção das Unidades de Tratamento de Resíduos (UTRs) para limpar as águas e bloquear a passagem de lixo que é jogado diretamente nos rios. "Queremos ser mais ousados que o Tim Maia. Ao invés de 'do Leme ao Pontal', queremos ir de Paquetá ao Pontal", brincou Minc.

Terra