0

Presidente do Crea-RJ: último registro de obra em prédio é de 2008

26 jan 2012
14h55
atualizado às 17h20

O presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea-RJ), Agostinho Guerreiro, afirmou nesta quinta-feira que a última Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), referente ao prédio de 20 andares que desabou no centro do Rio de Janeiro ontem, é de 2008. A ART é um documento através do qual o profissional registra as atividades técnicas solicitadas no contrato para obra onde está trabalhando. Guerreiro explica que não é de responsabilidade do Crea fiscalizar laudos de obra, mas a fiscalização do exercício profissional.

Confira como fica o trânsito no local após os desabamentos

"O Crea deve acompanhar as ARTs dos profissionais e empresas, que são obrigados por lei a fazer a declaração. Quando o profissional não faz a ART ele está errando e a obra está ilegal. Mas às vezes o profissional que faz a obra não é do CREA, nem é engenheiro, nem nada. Aí nós não podemos fazer nada. A última ART que encontramos para aquele endereço datava de 2008", diz ele.

Caso o profissional responsável pela obra seja do Crea, ele terá a chance de se defender, mas provavelmente será punido através do código de ética e, dependendo do tamanho de sua responsabilidade, poderá até perder o credenciamento e o direito de continuar trabalhando. Guerreiro afirma que ainda não se sabe quem seria o responsável pela obra que acontecia em um dos prédios que desabou.

Sobre as prováveis causas do desabamento, Guerreiro garante que as probabilidades de vazamento de gás e de fragilidade do terreno são pequenas. "O ponto comum que a maioria dos especialistas e analistas estão convergindo é que essas obras muito provavelmente acabaram mexendo em alguma parte estrutural do prédio. Mas ainda não existe provas para falar sobre isso, é uma questão de probabilidade. Tem gente falando sobre explosão de gás, que o terreno onde o prédio foi construído era frágil, mas estas probabilidades são muito menores", disse.

Veja a localização do desabamento:

Jornal do Brasil Jornal do Brasil

compartilhe

publicidade