Cidades

publicidade
08 de janeiro de 2009 • 04h40

Prefeitura do Rio anuncia nova política para autistas

 

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o secretário municipal da Pessoa com Deficiência, Márcio Pacheco, anunciaram oficialmente ontem a implantação de políticas públicas para portadores de autismo. A cidade do Rio será a primeira do país a implantar um tratamento especializado para autistas, que, com a lei 4.709/2007, deixam de ser considerados doentes mentais e passam a ser deficientes intelectuais. O anúncio aconteceu na visita do prefeito ao Centro Integrado à Pessoa com Deficiência (Ciad) Mestre Candeia, no centro da cidade.

» Leia mais notícias da agência JB

Márcio Pacheco adiantou que o Ciad está aberto para o atendimentos aos autistas, que antes eram tratados pela psiquiatria do Sistema Único de Saúde (SUS). A previsão é de que o tratamento seja oferecido este ano. Os portadores da síndrome serão beneficiados com os serviços de educação, saúde, inclusão social, esportes, cursos profissionalizantes e inserção no mercado de trabalho.

"O autista é uma pessoa com deficiência intelectual e tem o direto de ser atendido como portador de necessidades especiais", avalia Márcio, ao ressaltar que, em março deverá ser realizado um seminário com especialistas sobre autismo vindos de várias partes do mundo.

"O seminário será para instruir nossos profissionais e capacitá-los para prestar tratamento adequado aos autistas. O maior desafio ainda é o diagnóstico precoce, porque o portador não apresenta sinais de deficiência, apenas déficits de comportamento ou hiperatividade, o que confunde", explica.

Luz no fim do túnelO pontapé na luta do tratamento da deficiência partiu do auxílio de Ulisses da Costa Batista, pai do autista Rafael Batista, de 12 anos, que recebeu tratamento específico no exterior e apresentou melhora, inclusive, intelectual. Através de Ulisses, o secretário desenvolveu o projeto.

O prefeito Eduardo Paes emocionou com Rafael Batista. "Estou estudando para quando crescer me tornar um grande cineasta", conta Rafael.

Paes o incentivou a seguir o seu sonho e disse ter certeza da sua capacidade. Na visita, Paes deixou uma promessa digitada num dos computadores adaptados para deficientes visuais e auditivos: "Eduardo Paes vai melhorar a vida das pessoas com deficiências".

Na quadra poliesportiva, Paes arriscou alguns arremessos na cesta com atletas pára-olímpicos de basquete. Ali, treina a única jogadora de basquete do estado selecionada para a Pára-Olimpíada de Pequim, em 2008, Rosália Ramos. "Aprendi com ela", brincou Paes.

JB Online JB Online