Prefeitura corta merenda para crianças carentes em SP

4 fev 2010
10h00
atualizado às 10h28

Desde o início de janeiro de 2010, as entidades que atendem crianças e adolescentes órfãos ou em situação de risco não estão mais recebendo merenda. No lugar da compra mensal, com alimentos não perecíveis, e duas feiras por semana, a prefeitura repassa R$ 2.289 por mês para as entidades, que atendem em média 20 jovens. Com isso, cada atendido tem R$ 3,80 por dia para fazer cinco refeições. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com as entidades e o Ministério Público, a mudança foi imposta pela Secretaria da Assistência Social, responsável pelos convênios. O corte na merenda ocorre em um momento de alta na arrecadação da prefeitura de São Paulo. Em 2009, a receita cresceu 3,5%. Em setembro do ano passado, o prefeito Gilberto Kassab (DEM), fez o primeiro corte na merenda, pedindo aos pais que escolhessem entre o café da manhã ou jantar para sair do cardápio. Em nota, a Secretaria da Assistência Social afirmou que irá rever o valor repassado para a alimentação dos menores em abrigos conveniados.

Fonte: Redação Terra
publicidade