2 eventos ao vivo

PR confirma 4ª morte por chuvas e estuda decretar calamidade

15 mar 2011
11h40
Roger Pereira
Direto de Curitiba

O Corpo de Bombeiros do Paraná confirmou, na manhã desta terça-feira, a quarta morte no Estado em decorrência das chuvas que atingiram principalmente o litoral paranaense no final de semana. Uma idosa sem idade confirmada, que constava como desaparecida nos boletins da Defesa Civil, teve seu corpo encontrado sobre escombros na comunidade de Floresta, município de Morretes.

Chuva alagou região próxima ao Rio Barigui
Chuva alagou região próxima ao Rio Barigui
Foto: Antonio Costa / Futura Press

Com a localização do corpo de Maria de Souza Lopes, desaparecida desde a noite de sábado, passa para três o número de mortes pela chuva apenas no litoral do Paraná. Uma pessoa segue desaparecida em Morretes. O número de desabrigados subiu para 1.477, num total de 24.918 pessoas prejudicadas pela chuva. Ao todo, 10,3 mil pessoas tiveram de deixar suas casas.

Com os estragos causados nas estradas e nos municípios do litoral (em Morretes, mais da metade da população está desalojada), a falta de água potável e combustível na região e a previsão de mais chuvas para toda a semana, o governo do Estado cogita decretar situação de calamidade pública. A Coordenadoria Estadual da Defesa Civil recebeu documentos dos municípios, como os decretos e a Avaliação de Danos, e vai encaminhar à Procuradoria-Geral do Estado, que estudará o caso e, se confirmado o decreto, o enviará para a assinatura do governador Beto Richa. Morretes segue em estado de calamidade pública, enquanto Paranaguá e Antonina têm estado de emergênica.

Nesta manhã, o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, viajou a Brasília acompanhado dos prefeitos de Paranaguá, José Baka Filho; de Antonina, Carlos Augusto Machado; e de Morretes, Amilton Paulo da Silva, para tratar da liberação de recursos para atender aos desabrigados em audiência com o ministro das Cidades, Mario Negromonte.

Estradas
Ainda com vários pontos de deslizamento, a BR-376, que liga Curitiba a Joiville, segue interditada entre o km 672 e o km 657, na região de Guaratuba (litoral do Paraná), segundo informações da Autopista Litoral Sul, concessionária que administra o trecho.

Na BR-277, que liga Curitiba ao litoral do Paraná e ao porto de Paranaguá, a Polícia Rodoviária Federal informou que continua operando com fluxo alternado, no sistema "pare e siga", em que o tráfego é liberado alternadamente em um sentido e depois noutro. O tráfego foi permitido também para caminhões, mas a passagem sobre as quatro pontes danificadas continua sendo monitorada.

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade