PUBLICIDADE

Política para imigrantes em SP tenta facilitar acolhida

Números de imigrantes e perfil das populações estão sendo revistos na Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania

23 jan 2015 - 12h02
Ver comentários
Publicidade
<p><span style="font-size: 15.1999998092651px;">O plano de metas da atual gestão prevê a atualização do perfil da população imigrante, especialmente da mais recente, como a de bolivianos</span></p>
O plano de metas da atual gestão prevê a atualização do perfil da população imigrante, especialmente da mais recente, como a de bolivianos
Foto:

São Paulo é a cidade brasileira que mais recebe imigrantes e refugiados. Os dados mais recentes da Polícia Federal apontam ao menos 380 mil estrangeiros no país. O número real, porém, é ainda maior, pois não estão sendo considerados refugiados e aqueles imigrantes em situação irregular.

Para desenvolver políticas para imigrantes na cidade, a Prefeitura começou um trabalho de desenvolvimento do perfil da população imigrante - o que também envolve a recontagem dessas pessoas.

“Estamos tentando conhecer essas populações. É um trabalho que estamos fazendo há um ano e meio e isso é muito importante para que políticas de governo sejam melhor desenvolvidas e atendam as demandas”, explica Camila Baraldi, coordenadora adjunta de Políticas para Migrantes da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo.

Leia também: "Também sou SP": imigrantes falam da experiência na cidade

Ano passado, por exemplo, São Paulo inaugurou um ponto de referência para imigrantes com serviço de acolhida para ajudá-los com orientações sobre documentos, agendamentos, órgãos a procurar etc. De acordo com Camila, o trabalho é realizado por diversos tipos de profissionais, tais como assistentes sociais, advogados, psicólogos – além dos atendentes imigrantes para que conseguem se comunicar melhor com os recém-chegados pela diversidade linguística.

“Os imigrantes têm grande potencial de contribuir para a cidade tanto culturalmente, quanto economicamente. E é para isso que trabalhamos: para que desenvolvam seu potencial. A decisão de migrar é um grande desafio e eles chegam com vontade de mudar, de crescer”, afirma.

O plano de metas da atual gestão prevê a atualização do perfil da população imigrante, especialmente da mais recente, composta por latinos – bolivianos em maior número, além de paraguaios e peruanos -, africanos, haitianos e sírios. “Os projetos visam adequar nossos serviços para melhor atendê-los. Além disso, estamos fazendo a qualificação dos funcionários da prefeitura para que saibam as realidades e direitos dos imigrantes, tais como o acesso à saúde, à escola; o que nem sempre acontece por desconhecimento das pessoas”, explica.

Desconhecimento, discriminação e burocracia, aliás, são obstáculos enfrentados por imigrantes por quase 461 anos, pois São Paulo foi construída por ondas de diferentes populações estrangeiras que chegaram até aqui ao longo dos séculos. 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade