0

Mulher 'erra marcha' e é hostilizada em evento antifascista

Manifestação foi marcada em resposta à Marcha da Família, que também ocorre hoje em São Paulo

22 mar 2014
16h05
atualizado em 24/3/2014 às 09h49
  • separator
  • comentários

Cerca de 1 mil pessoas se reuniram na tarde deste sábado na Praça da Sé, em São Paulo, para a Marcha Antifascista, evento organizado em resposta à Marcha da Família. A concentração ocorria pacificamente, mas registrou ao menos um tumulto isolado: uma mulher foi hostilizada ao gritar contra o evento, enquanto carregava uma Bandeira do Brasil e uma cartaz que dizia 'Brasil não é Cuba'.

<p>Mulher grita contra a marcha e gera tumulto</p>
Mulher grita contra a marcha e gera tumulto
Foto: Gabriela Biló / Futura Press

Ela foi vaiada, chamada de fascista e alguns manifestantes tentaram tirar a bandeira de sua mão. Houve empurra-empurra. Um dos participantes a escoltou até uma viatura da polícia, de onde ela foi retirada do local. Há 200 policiais militares acompanhando a manifestação, segundo a corporação.

Não havia informações sobre o percurso da marcha. Ainda concentrados na Sé, manifestantes queimaram uma Bandeira do Brasil.

Por volta das 16h30, o grupo saiu da Praça da Sé em direção ao prédio que abrigou o Departamento de Ordem Política e Social (Dops). Lá, fizeram homenagens aos mortos e desaparecidos na ditadura, enquanto policiais formavam um cordão de isolamento para o prédio.

Ao final do ato, foi convocado um novo protesto contra a ditadura, para 1º de abril, no vão do Masp.

 

Suplicy canta Dylan e Vandré em marcha em SP

Colaborou com esta notícia o leitor Kevin David, de São Paulo (SP), que participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Fonte: Terra
  • separator
  • comentários
publicidade