0

MG registra quarta morte devido ao excesso de chuva

2 jan 2012
15h08
atualizado às 16h56
Ney Rubens
Direto de Belo Horizonte

A aposentada Maria de Lourdes Rocha Machado, 75 anos, morreu soterrada na manhã desta segunda-feira pelos escombros da casa onde ela morava em Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata de Minas Gerais. A residência desabou e ficou totalmente destruída. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros de Ubá, cidade vizinha, que deslocou militares para o resgate do corpo da vítima, que foi localizado no quintal. Esta foi a quarta morte confirmada em decorrência dos estragos provocados pelo excesso de chuva em Minas Gerais, a segunda somente nesta segunda-feira.

Na cidade de Congonhas, os rios Maranhão e Santo Antônio já transbordaram
Na cidade de Congonhas, os rios Maranhão e Santo Antônio já transbordaram
Foto: Divulgação

Durante a madrugada um prédio desabou no bairro Caiçara em Belo Horizonte e matou um homem identificado como Jaílson Aparecido, 38 anos. A mulher dele, Maíza Cunha de Moraes , 46 anos, está internada em estado grave no Hospital João XXIII em BH e não corre risco de morrer.

Além das quatro mortes confirmadas, uma mulher ainda está desaparecida em Santo Antônio do Rio Abaixo, a 80 km de Belo Horizonte. A casa da aposentada Rita Vieira de Souza, 74 anos, desabou e foi levada no último sábado pela água do rio que corta a cidade.

No início da tarde também houve desabamentos em Sabará e Betim, na região metropolitana da capital mineira. Segundo os Bombeiros, duas casas e o teto de um galpão industrial caíram, sem vítimas.

De acordo com o meteorologista Ruibran dos Reis, do Instituto de Meteorologia Clima Tempo, somente nas últimas 48 horas choveu 160,8 mm na região metropolitana de Belo Horizonte, mais da metade do volume esperado para todo o mês de janeiro.

Interior
As cidades banhadas pelo Rio Paraopeba estão em estado de atenção nesta segunda-feira. Já foram registrados transbordamentos nos municípios de Brumadinho, Betim, e Juatuba. Em Congonhas, a Defesa Civil Municipal também alerta para o grande volume de chuva na cidade. Os rios Maranhão e Santo Antônio já transbordaram. Os bairros em situação de alerta são: Praia, Vila São Vicente, Fonte dos Moinhos, Residencial, Vila Marques, Alvorada e Jardim Profeta. A Prefeitura informou que criou um plano de contingência para atender a população. Quatro abrigos estão disponíveis para os desalojados nos bairros Jardim Profeta e Vila Marques, e nas escolas Engenheiro Oscar Weinschenk e José Monteiro.

Há alerta de enchente também nas cidades banhadas pelo Rio das Velhas, como Raposos, Sabará, Rio Acima, Nova Lima e Santa Luzia. Em Muriaé, na Zona da Mata, o rio Muriaé já subiu cerca de 4 m acima do nível normal e alagou várias casas. De acordo com a Defesa Civil, cerca de 100 famílias estão desalojadas. O acesso a alguns pontos da cidade é possível somente de barco.

Conforme a Coordenadoria de Defesa Civil Estadual (Cedec), até o início da tarde 46 cidades decretaram situação de emergência devido aos estragos provocados por chuva. Outras 56 comunicaram problemas com os temporais.

Anel Rodoviário
A Polícia Rodoviária Federal informou que uma barreira deslizou e interditou as três pistas do Anel Rodoviário na altura do km 1 no bairro Olhos D¿água, próximo ao entroncamento com a BR-040, que liga Belo Horizonte ao Rio de Janeiro. Um carro foi atingido pela terra que desceu da encosta, mas não houve vítimas.

O Anel Rodoviário é a principal via da capital mineira com um trânsito diário de 130 mil veículos. Por volta de 15h, técnicos do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) eram aguardados para a desobstrução das pistas. O congestionamento chegava a 5 km no local.

Fonte: Terra
publicidade