0

Itamaraty discute segurança de palácio com órgãos de defesa e PM

Divergência sobre responsabilidade facilitou ação de vândalos, que depredaram o palácio

21 jun 2013
13h06
atualizado às 13h42
  • separator
  • 0
  • comentários

A Secretaria-Geral do Ministério das Relações Exteriores terá uma reunião na tarde desta sexta-feira com o comando da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e outros órgãos de segurança envolvidos no policiamento de prédios públicos. O encontro servirá para ajustar o esquema de guarda do Palácio do Itamaraty, depredado na noite de ontem, durante a manifestação que levou 35 mil pessoas ao gramado da Esplanada dos Ministérios.

Na noite de quinta-feira, um grande grupo marchou à direita do Congresso Nacional, visando o Itamaraty, que estava apenas com o contingente normal de segurança feita por fuzileiros navais. Um dos principais monumentos de Brasília, o ministério teve pelo menos 25 janelas quebradas e um princípio de incêndio na sua entrada, controlado por PMs. Alguns manifestantes entraram rapidamente no prédio, mas foram expulsos. Antes, picharam "corrupção" numa parede interna.

Após as cenas de vandalismo, o Terra questionou o tenente-coronel Jahir Lobo, chefe do Departamento Operacional da PMDF, sobre de quem seria a responsabilidade pela segurança do Itamaraty. A resposta, presenciada por outros jornalistas, foi de que o prédio estava a cargo da Marinha, por meio dos fuzileiros navais, que não teria pedido reforço na segurança.

De acordo com o porta-voz do Itamaraty, embaixador Tovar da Silva Nunes, a segurança interna do prédio é feita por um acordo com o Ministério da Defesa. Oficialmente, as Forças Armadas são responsáveis por guardar apenas quatro locais em Brasília: os palácios do Planalto, da Alvorada, do Jaburu e a residência oficial da Granja do Torto, todos utilizados pela Presidência da República. A guarda externa do Itamaraty, contudo, estaria a cargo da PM.

Durante a chegada dos manifestantes ao gramado do Congresso Nacional, ainda no final da tarde de ontem, era impressionante o contingente de policiais destacados para a operação. Ao contrário da manifestação da última segunda-feira, quando centenas de pessoas subiram na marquise do Congresso, desta vez 3,5 mil homens cercaram o prédio do Legislativo, impedindo que os manifestantes alcançassem a Praça dos Três Poderes.

Chamou atenção, no entanto, a falta de homens à frente do Itamaraty. Ainda que o espelho d’água à frente do palácio tenha sido invadido por manifestantes no protesto da última quarta-feira, quando um pequeno grupo tentou chegar ao Congresso Nacional e foi impedido pela polícia, o prédio envidraçado ficou desguarnecido durante a manifestação de ontem.

O Terra tentou entrar em contato com o chefe da comunicação social da PM, coronel Zilfrank Antero, mas não obteve retorno das ligações.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade