publicidade
07 de fevereiro de 2012 • 14h57

Delegado solicita planta original de prédio que desabou em SP

Equipes retiram escombros do local do desabamento em São Bernardo do Campo
Foto: Ivan Pacheco / Terra
 
Vagner Magalhães
Direto de São Bernardo do Campo

O delegado Victor Vasconcellos Lutti, titular do 1º DP de São Bernardo do Campo (SP) e responsável pelo inquérito que investiga as causas do desabamento parcial do edifício Senador, no centro do município, afirmou na tarde desta terça-feira que requisitará a planta original do prédio para verificar se a construção sofreu alguma mudança significativa ao longo dos últimos 30 anos. De acordo com o delegado, é preciso descobrir se obras recentes teriam comprometido a estrutura.

"Vamos requisitar essa planta para verificar, andar por andar, o que aconteceu nesses mais de 30 anos que o prédio está em funcionamento", disse. Segundo o delegado, uma testemunha relatou que o edifício teria passado por reformas recentemente. "Levantou-se a possibilidade de ter ocorrido uma obra no prédio no passado. Essa testemunha será preservada por nossa parte, pois ela pode trazer novas informações ao inquérito", afirmou.

De acordo com Lutti, o prédio comercial teria seis escritórios por andar. O desabamento atingiu apenas um escritório de cada um dos 13 pavimentos afetados. O delegado afirmou ainda aguardar o laudo do Instituto de Criminalística (IC), que, segundo ele, ajudará a elucidar os fatos. "A nossa busca é colher provas técnicas para chegar até a verdade dos fatos", disse.

O desabamento
Por volta das 19h40 do dia 6 de fevereiro de 2012, o Corpo de Bombeiros recebeu um chamado relatando um desabamento em um edifício de 14 andares na avenida Índico, no centro de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. No total, 13 lajes desabaram umas sobre as outras. O desabamento deixou ao menos uma criança morta, seis feridos, e uma enfermeira desaparecida.

Depois do incidente, o prefeito do município, Luiz Marinho (PT), afirmou que a documentação do edifício estava em situação regular. A menina de 3 anos morta no desabamento chegou a ser socorrida com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no Pronto Socorro Central da cidade.

Terra