2 eventos ao vivo

CPTM e governo de SP cobram trens em horários de pico na Justiça

Funcionários estão em greve desde o início da madrugada desta quinta-feira

13 jun 2013
11h06
atualizado às 15h27
  • separator
  • comentários

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), informaram nesta quinta-feira que vão à Justiça pelo descumprimento da liminar do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região durante a greve dos ferroviários na capital. Em nota, a CPTM diz que os empregados não respeitaram a ordem judicial de manter 100% da operação nos horários entre 6h e 9h e das 16h às 19h, e nos demais horários 75% da operação ferroviária.

Passageiros formam filas de ao menos 200 metros para pegar ônibus disponibilizados pela CPTM
Passageiros formam filas de ao menos 200 metros para pegar ônibus disponibilizados pela CPTM
Foto: Fernando Borges / Terra

A evolução das obras do metrô de SP ano a ano
Confira o ranking das tarifas de ônibus no País

De acordo com a CPTM, a circulação de trens nas linhas 11-Coral e 12-Safira está interrompida em toda a extensão desde as 10h devido à greve, e a linha 9-Esmeralda não está operando desde a última madrugada. A operação Paese foi acionada e os ônibus circulam entre as estações Corinthians-Itaquera do Metrô e Guaianazes; entre Ferraz de Vasconcelos, Poá, Suzano, Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba e Guaianazes; e entre São Miguel e Itaim Paulista e estação Tatuapé do Metrô. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) julgará a greve a partir das 16h30.

<a data-cke-saved-href="http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-metro-onibus-sp/iframe.htm" href="http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-metro-onibus-sp/iframe.htm">veja o infográfico</a>

A CPTM informa ainda que, desde as 10h, opera três linhas da seguinte forma: 7-Rubi, entre as estações Luz e Jundiaí; 8-Diamante, entre as estações Itapevi e Palmeiras-Barra Funda, e 10-Turquesa até a Estação Luz. A operação Paese será mantida para atender a linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú), que está paralisada. Os coletivos estão atendendo os usuários entre as estações Pinheiros e Grajaú.

"A companhia lamenta a atitude arbitrária do Sindicato dos Trabalhadores da Zona Sorocabana, representante dos empregados das linhas 8-Diamante (Júlio Prestes-Itapevi) e 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú), e do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Central, que representa os empregados das linhas 11-Coral (Luz-Guaianazes-Estudantes) e 12-Safira (Brás-Calmon Viana), que descumpriram a liminar emitida pela Justiça do Trabalho", informou o comunicado.

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/cptm-expansao/iframe.htm" href="http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/cptm-expansao/iframe.htm">veja o infográfico</a>

Ontem, a CPTM rejeitou, em audiência de conciliação, a proposta apresentada pelo TRT que previa, entre outros pontos, reajuste salarial de 8,56% para os funcionários. O Tribunal chegou a apelar para que os trabalhadores evitassem a paralisação antes da decisão final da Justiça sobre o impasse, porém, a greve foi deflagrada.

O descumprimento da ordem judicial implicará na responsabilidade civil e penal, além de multa diária no valor de R$ 100 mil a ser revertida em favor do Hospital São Paulo, do Hospital das Clínicas e da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Em caso de dúvidas sobre os funcionamentos, os usuários podem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Usuário pelo telefone 0800 055 0121 ou pelas redes sociais.

Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade